sábado, 30 de abril de 2011

Hand in Hand - Dario Straits




Como vocês sabem, Hand in Hand é uma canção que nunca foi tocada pelo Dire Straits e nem na carreira solo de Knopfler, contudo, eis que venho divulgar um registro que considero maravilhoso.

Me encantei com a interpretação dessa banda cover, eu a desconhecia, é notável o carinho que eles tomaram ao interpretá-la, com muito respeito ao Dire Straits, bem fiel a versão original.

Eu faço questão de divulgar esses trabalhos aqui no Blog, porque é de bom gosto e bem feito, foi uma linda iniciativa dessa banda escolher interpretar Hand In Hand, canção tão linda e ao mesmo tempo tão esquecida pelos fãs, principalmente pelo próprio Mark Knopfler que deixou a canção na “Desolation Row”.

A razão para isso é um tanto desconhecida, talvez seja o fato de tal canção ser um verdadeiro retrato que expressa exatamente o que Mark estava sentindo naquela época com relação a ruptura com Holly Vincent e saída de seu irmão, David Knopfler.

A canção está repleta de sentimentos pessoais, em uma linha poética, bastante lírica, é possível perceber momentos de redenção,(David Knopfler) momentos de alguém que acredita em seu próprio amor,(Knopfler) apesar da distância entre ele e a pessoa amada (Holly Vincent), essas três esferas se misturam na canção em uma maneira única, exprimindo fortes e sinceras emoções. Quem sabe o peso dessas emoções tenham sido suficiente para Knopfler resolver não interpreta-lá ao vivo?

Eu comparo Hand in Hand a Where Do You Think You're Going no quesito Feeling, mesma vibração de emoções, no entanto, contextos e inspirações diferentes. Mais adiante, em 1982, surge a extraodinária (e esquecida) canção> It Never Rains, trazendo uma verdadeira tempestade de emoções, mas ai é um assunto que abordarei com mais profundidade em outra oportunidade.

Seja como for, a banda foi muito feliz em interpretar Hand in Hand como vocês poderão perceber assistindo o vídeo.

De Mãos Dadas

O céu está chorando as ruas estão cheias de lágrimas
Caia chuva, limpe os meus medos
E tudo isso escrito na parede
Oh eu posso ler entre as linhas
Caia chuva perdoe esta cidade suja
Caia chuva e dê à esta cidade suja
Um drink de água um drink de vinho

Se eu tenho sido injusto com você eu nunca quis ser
Eu nunca quis mais ninguém
Eu tentei dar o melhor de mim para ser alguém de quem você ficaria perto
De mãos dadas como os namorados devem ficar

Assim que você dormia eu pensava que o meu coração iria se partir em dois
Eu beijava o seu rosto eu parava para não te acordar
Mas no escuro você dizia o meu nome
Você falava: baby, o que está errado ?
Oh, aqui estou eu baby estou voltando por mais
Eu sou como uma onda que desliza até a praia
Sim, e se o meu amor é em vão como o meu amor pode ser tão forte ?

Agora você e eu vamos paralelamente juntos e separados
E você mantém a distância perfeita e tirando lágrimas do meu coração
Será que você nunca se sente a distância
Você nunca sentiu a distância ?
Você nunca tentou cruzar nenhuma linha
Agora isto é um outro rio sujo e uma outra cicatriz suja
E eu não sei quem está te beijando e não sei onde você está
Tão longe de casa você não pensa em mim em algum momento ?

Céu está chorando veja as ruas estão cheias de lágrimas
Caia chuva, para limpar os meus medos
E tudo isso escrito na parede
Oh eu posso ler entre as linhas

Brunno Nunes.

5 comentários:

Zé Miguel Gomes disse...

Bela versão! Obrigado!

E para quando a análise do "It never rains?"... Adoro a música!

Abraço de Portugal.

Renata Christovão Bottino disse...

Tb gostei da sua tradução e do vídeo! Renata

Flavio disse...

Olá. Adoro o Dire Straits e esse blog. Tenho uma dúvida. Existe algum registro ao vivo de Ticket to Heaven? Abraço, Flávio

Brunno Nunes disse...

Olá Flavio!
Fico feliz que tenhas gostado do Universo Dire Straits. ^^

Com relação a Ticket to Heaven, ela nunca foi tocada ao vivo com o Dire Straits, apenas com os NHB em uma única ocasião em 1993.

Abraço!!!

Flavio disse...

Oi Brunno, valeu pelo retorno. Abraço! Flávio

Dire Straits

Dire Straits
A voz e a guitarra do Dire Straits ao vivo em Cologne, 1979