quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Dire Straits' Mark Knopfler InTheStudio

Dire Straits 'Mark Knopfler é o convidado especial no mais recente episódio de duas partes de InTheStudio que explorar dois dos álbuns clássicos da banda, Making Movies Love Over Gold.

Vale a pena conferir a entrevista:


Parte 1








































Parte 2

 Brunno Nunes

domingo, 23 de dezembro de 2012

DVDS


Feliz Natal a todos(as) Knopflerianos(as)

Aqui venho anunciar que estou disponibilizando cópias de alguns dvd excelentes do DS, MK, além de outras bandas.

DVDS: R$ 10,00
(Envio a partir de 3 cópias em diante, 5 cópias em diante frete grátis)

Envie sua lista para>> brunnowest@yahoo.com.br

Link para visualizar os dvds>>>>> http://www.oneverybootleg.nl/DVD.htm


EARLY YEARS 1978-1981

LIVE EARLY YEARS 78/81, várias apresentações na tv 1DVD+R
Rockpalast  (Soundboard)
Bavarian TV report 1979 1979 Studio and Roxy, Los Angeles, USA Soundboard
BBC Arena 1980  (Soundboard)
Dortmund 1980 + bonus  (Soundboard)
Werchter 1981


BROTHERS IN ARMS TOUR 1985-1986 

Israel 1985 documentary + USA 1992  (Soundboard)
Live at Wembley Arena 10.07.85 + Bonus> Expresso Love (Soundboard)
LIVE IN SYDNEY 26.04.86 (DUPLO) (Soundboard)

ON EVERY STREET TOUR 1991-1992

DORTMUND 1991 (25.09.91) + THE STORY OF... DIRE STRAITS (Audience)
Frankfurt 1991 (08.10.91)  (Audience)
Los Angeles 1992 (08.02.92) (DUPLO) (Audience)  
CALLING EARLS COURT 1992 (07.06.92)
BASEL 1992 (28.06.92) (DUPLO)  (Soundboard)                        
NIMES 1992 (29.09.92) (Soundboard)
On every street - TV broadcasts  (Soundboard)

DVDS> CHARITY SHOWS 1986-2002

Live AID 1985 (Soundboard)
Mandela 1988  (Soundboard)
THE PRINCE´S TRUST ROCK GALA '88 (Soundboard)
Live at Knebworth 1990 (Soundboard)
Mark Knopfler and friends, 24th JULY 2002  (Audience)
Prince's Trust 2009 (Soundboard)

DVDS> ON TOUR WITH ERIC CLAPTON 1987/1988

Shoreline Amphitheatre 21.09.88 (DUPLO)  (Soundboard)
25th ANNIVERSARY TOUR 02.11.88  (Soundboard)            

DVDS> THE NOTTING HILLBILLIES  1990-1999

THE NOTTING HILLBILLIES - Saturday Night  1990 (Soundboard)            
THE NOTTING HILLBILLIES – SNAPE 1990 (Soundboard)
THE NOTTING HILLBILLIES – RONNIE SCOTT'S 19th 07 1999 (Audience)


MARK KNOPFLER SOLO

DVDS GOLDEN HEART TOUR 1996

ANTIBES 1996 (Último show da Golden Heart Tour 96) (Audience)
MARK KNOPFLER: STOCKHOLM 1996 (Audience)  


SAILING TO PHILADELPHIA PROMOTION TOUR 2000

MARK KNOPFLER – PROMOTIONAL TOUR ´01 (INCLUINDO JO SOARES) (Soundboard)


SAILING TO PHILADELPHIA TOUR 2001

PORTLAND 2001 (Audience)
BADALONA 2001 (Audience)
Lucca 2001

SHANGRI-LA TOUR 2005

FRANKFURT 2005 (Audience)
Shangri-la World Tour'2005(Duplo) (Audience)
Stuttgart 2005- 10.04.05 (dUPLO) (Audience)
STRA 2005 (Audience)


KILL TO GET CRIMSON PROMOTION TOUR 2007

BERLIN SHOWCASE 2007  (10.09.07) (Soundboard)
BASEL SHOWCASE (Matrix) DVD + Bonus (12-11-2007) (Soundboard)


KILL TO GET CRIMSON TOUR 2008

Rotterdam 2008 (31.03.08) (Audience)
Over in Poland 2008 (02.05.08) (DUPLO) (Audience)
Bolzano (17.04.08) (Duplo) (Audience)

GET LUCKY PROMOTION TOUR 2009  

A friendly night in London 2009
Get Lucky promo tour 2009 (DVD)
Madrid showcase 2009 Audience

GET LUCKY  TOUR 2010

Codorba 2010  (Audience)
Gone Gambling (Duplo) (Audience)  
Italy 2010  (Duplo) (Audience)


EUROPEAN TOUR 2011- (Abrindo para Bob Dylan)

Luxembourg 2011 (Audience)

         
US & CANADIAN TOUR 2012

Mark Knopfler's Kingdom 2012 (Audience)



OUTROS DVDS RELACIONADOS AO DIRE STRAITS E KNOPFLER

BROTHERS IN ARMS- DOCUMETÁRIO (Soundboard)
BBC guitar heroes (2009) (Soundboard)
Even More Guitar Heroes At The BBC (2009) (Soundboard)
When Phil Cunningham met Mark Knopfler DOCUMENTÁRIO (1010) (Soundboard)
Mark Knopfler - A life in songs (2011) DOCUMENTÁRIO (Soundboard)
Exerpts from Bananas I DVD (Soundboard)
Exerpts from Bananas II DVD (Soundboard)
Chet Atkins and Friends (Soundboard)
Knopfler's Acoustic Videos (Soundboard)

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
OUTROS DVDS- Várias bandas

PINK FLOYD

- Pink Floyd - KQED ´70 [Qualidade ótima]
- Pink Floyd - Hangar Rehearsals ´87
- Pink Floyd - Veneza ´89 [Qualidade ótima - Pink Floyd toca em palco flutuante, até então o único no mundo]
- Pink Floyd - Especial MTV+ (Português) [Um bom resumo da carreira do Pink Floyd]
- Pink Floyd - Dark Side Classic Albuns [Como foi a construção do álbum]
- Pink Floyd - The Wall Rehearsals- [01/08/1980]
- Pink Floyd - The Wall- Nassau Loliseum- [27/02/1980]
- Pink Floyd - Divided We Fall [2 DVDs]
- Pink Floyd - Put The Bitch Down - JFK Stadium Philadelphia [2 DVDs]
- Pink Floyd - Would You Buy A Ticket To This Show [2 DVDs]
- Pink Floyd - A Saucerfull of Videos ´93
- Pink Floyd - Dusty Tapes (A rare Collection Backdrop Films)
- Pink Floyd - Live in Saint Tropez ´70 (France)
- Pink Floyd - French TV 1968-1969
- Pink Floyd - Pro-Shot In Europe
- David Gilmour – Echoes of Firenze ´06

RUSH

- Rush - New Jersey 1976
- Rush - Exit... Stage Left 1981
- Rush - Live in Canada 1983
- Rush - Grace Under Pressure Tour 1984
- Rush - A Show of Hands 1989
- Rush - Montain View 1990
- Rush - Couterparts Tour 1993 (Duplo)
- Rush - Rush in Rio
- Rush - R30
- Rush - CRONICLES (Clipes)
- Rush - Hemispheres to Exit Stage Left (Documentário)

LED ZEPPELIN

- Led Zeppelin - Erals Cout 1975 (Duplo)
- Led Zeppelin - The Song Remains the Same 1976
- Led Zeppelin - Seatles 1977 (Duplo)
- Led Zeppelin - Live in concert- Antology
- Led Zeppelin - Led Zeppelin: (2DVD) [2003] (Coleção de shows)
- Led Zeppelin - Reunion 2007 Multicam (Duplo)


BEATLES

- Beatles - Let It Be
- Beatles - Shea Stadium 1965
- Beatles - Budokan 1966
- Beatles - Making of Sargent Peper

- Jonh Lennon- IMAGEM
- Jonh Lennon- The Video
- Jonh Lennon- A Tribute- 1990

- Geoge Harison- Concert For George- 2002

- Paul Maccartney- 10 +
- Paul Maccartney- Get Back 

ELVIS PRESLEY

- Elvis - The Great Perfomances, Vol. I (Center Stage)
- Elvis - The Great Perfomances, Vol. II (The man and the music)
- Elvis - The Great Perfomances, Vol. III
- Elvis - The Great Perfomances, Vol. IV
- Elvis - Unplugged (From '68 comeback especial)

BOB DYLAN
- Bob Dylan- Compilação (1964-1979)
- Bob Dylan- Hard Rain
- Bob Dylan- Australia 1986
- Bob Dylan- Unplugge
- Bob Dylan- Tales from a Golden Age Bob Dylan 1941-1966 (Documentário)

ASIA

- Asia in Asia
- Asia Live in USA
- Asia Live in Moscow
- Asia Live in Nottinghan

Kansas

Kansas- 10 Years With Elefant
Kansas- Device voice Drum

The Police- Sting

- The Police- Vários vídeos(Compliação)
- The Police- Live in Chile 1982
- The Police- Live In Newcastle 1982
- The Police- Sycronicity Concert
- The Police- Rock in Rio 2008
- Sting- Live 1993


THE EAGLES

-  DVD- (The Eagles- Live in Holland 1973- The Eagles- Don Kirshner's Rock Concert 1974- The Eagles- Eagles in Houston 1977)
- The Eagles- Hell Freezes Over
- The Eagles- Nova Zelandia 1995
- The Eagles- Farewell I Tour (Live from Melbourne) 2005 (Duplo)


QUEEN
-Queen- Graetst Hits I - II (Duplo)
-Queen- Rock Montreal 1981 
-Queen- Live in London 1977

outros títulos


- Triunf- Live
- TRAFIC- LIVE 1973
- Europe- Live
- Rick Wakeman- The jorney to the Centerof Eart
- Bread- Live
- Mamas and Papas- Videos
- Eletric Light Ochertra- Live
- Kraftwerk- Live 2004
- Grand Funk
- Gentle Giant
- Creedence- Live>> Oklahoma City 1970- Albet Hall 1970- Woodstok 1969
- John Fogerty- premonition
- Rolling Stone- Rock and Roll Circus
- AC/CD Live
- Rolling Stones- Rock and Roll Circus
- Rick Wakeman- Jorney to the center of Eart
- Live Aid- 1985 (volume 02)>> (The Beach Boys, Dire Straits & Sting, Queen, David Bowie, Joan Baez, Pretenders, The Who, Elton John)
- The Secret Policemans Thied Ball- (Duran Duran, David Gilmour, Lou Reed, Mark Knopfler & Chet Atkins, Peter Grabriel)
- Stars Live- 1990- (Status Quo, Eric Clapton, Dire Straits, Elton John)
- Super Groups- (Supertramp- David Bowie, Genesis,Doobie Bros., Black Sabbth, Thin Lizzy, Queen, Dire Straits, The Police)
- Music For Montserrat- 1997- (Phil Collins, Mark Knopfler, STING, Elton Jonh, Eric Clapton, Paul Maccarteny)
- Super Stars in Concert- (Jimi Hendrix, Pink Floyd, The Rlling Stones, Cream,Rod Stewart, Cat Stevens, Joe Coker, Tina Tunner)
- Complilação- Rock and Roll Clipes 1958/2002 (Vários Clipes)
- Encruzilhada (Crossroads) Filme

Brunno Nunes

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Dire Straits feat Sting: Paris 1985. Palais Omnisports de Bercy, Paris, France - November 28, 1985.


 

  

Link Alternativo (Flac)- DOWLOAND

Papai Noel me deixou esses bootlges que seguem, para que eu postasse aqui para todos os visitantes do Universo Dire Straits. ^^

Esse bootleg é raro e bastante interessante. Já na reta final da BIA tour 1985, paticipação especial de Sting em Money for Nothing, no entanto, uma surpresa acontece quando Mark o convida em Solid Rock é muito legal, outras surpresas ocorrem no decorrer do concerto, as quais deixo que vocês mesmo tenham o prazer de descobrir quando ouvirem! ^^

Additional comments:
Pretty nice sound quality. No suprises in the setlist but the suprise is Sting a guest player on Money for nothing just like on the record! He also sings on Solid rock. But he is not introduced until Mark Knopfler thanks him before Going home. Another suprise is when Alan Clark improvises a bit during Going home. He plays a piece from cancan (Moulin Rouge). The song stops for a while and then Mark Knopfler begins playing a piece of it too! a funny moment, but only one minute in total. Complete show. 

Comments J.Van Tol: Pretty nice sound quality. ...the suprise is Sting a guest player on Money for nothing just like on the record! He also sings on Solid rock. But he is not introduced until Mark Knopfler thanks him before Going home.

Another suprise is when Alan Clark improvises a bit during Going home. He plays a piece from cancan (Moulin Rouge). The song stops for a while and then Mark Knopfler begins playing a piece of it too! a funny moment, but only one minute in total. Complete show.

Enlight note: A requested show, nice to give it a listen again. The sound is ,especially at the louder sung parts with Sting, medium..No doubt, Sting singing was great, must be recording settings. Still a great show to have.

This is the second night from four in Paris, as far as i know the only one recorded (Or not?) Sting must found some time to join Dire straits after his Gig in Heidelberg the night before (27th) ,and hurry back to Germany for his Hamburg show the next day (29th). Nice to hear Sting perform with the Dire straits outside the UK , which is very rare during the BIA tour.And even more rare also during "Solid Rock". Mark and the band is in a good mood and really rocks.

During the "Brake-down" part on "walk of life" Mark talks (screams) a lot to the audience in a funny way ,like his "tweedee-dee-yah", but more rare is that he starts "moaning" in a none Barry White kind of way. (Funny)

I love it when " why worry" is played as a long version, this time with another breathtaking sax-solo by Chris.

The Cancan improvisation by Alan and Mark is a nice bonus.
covers,MD5 included. Take care and be nice fellows. 


Brunno Nunes.

Dire Straits: Calling Elvis. Westfalenhalle, Dortmund, Germany 1991



Excelente bootleg, especialmente pela (sempre bem vinda) Planet of New Orleans, bem como a
Tunnel of love, canção que foi tocada pela última vez nesta turnê, por sinal, na OES Tour ela foi tocada em menos ocasiões que Telegraph Road.


Additional comments:
Don't mix up with the same labeled bootleg: "Calling Elvis" Basel 1992, Switzerland ::: Additional info: Extract directly from silver pressed bootleg "Calling Elvis". Very good sounding. Like always, nice versions. rarely played "Planet of new Orleans" and "Tunnel of Love" during this tour. Taken from the original silver -Enlight- ::::: ds-trade tripod comment: Pretty nice audience recording of Dortmund. This appears to be the best sounding and most complete bootleg of this concert up to date. Very nice Planet Of New Orleans and Tunnel Of Love. Complete concert.

Good sounding recording. Taken from the original silver pressed bootleg "Calling Elvis". Complete concert.

Brunno Nunes

Dire Straits: Sold Out In Every Street. Wembley Arena, London, UK 1991

Aqui está outro bootleg maravilhoso. Nos primordios da OES Tour, eu tenho esse bootleg original e o conheço bem, é um excelente show! Performances maravilhosas ,quase todas as faixa estão poderosas e grandes solos de Mark Knopfler. Especialmente bons são Heavy fuel, Planet of the New Orleans, Sultans of Swing e, Fade To Black - muito raro. Também agradável ouvir a versão diferente de Your latest trick com grande pedal steel-guitar introdução de Paul Franklin (bem curioso e agradável, não menos diferente o final da canção, onde há um solo de guitarra, algo incomum). Também as lindas e powerful versões de Tunnel Of love e Money for Nothing. Este um dos melhores shows de 1991/1992 em todas as turnês Street, apreciem!


Additional comments: Fairly good sounding recording. Taken from the original silver pressed bootleg "Sold out in every street". Nice versions of Tunnel of love and Fade to black, a song that was very rarely played. 
  
Audience recording from London 1991. Interesting concert, fairly good sound. Very nice versions of Tunnel of Love and, Fade To Black", a song that was very rarely played. This live version is very nice! Available on two CD-R's. 

Complete show! A MUST HAVE!!From the bootleg "Sold Out In Every Street", this recording sounds excellent ; and musically it's perfect. 'Romeo And Juliet' and 'Sultans Of Swing' are the best versions i've heard from this tour so far. Rare version of 'Fade To Black' 




 

Brunno Nunes 

Bob Dylan & Mark Knopfler: Brothers in Nottingham. Capital FM Arena, Nottingham, UK - October 11, 2011.

Eu ainda não havia posta bootlegs da tour com Bob Dylan, aqui está um dos primeiros concertos da turnê de 2011.

Como vocês podem ver, coloquei o show completo, o de Dylan nos dois primeiros discos e disco 3 o show de Knopfler. Ótima qualidade, apreciem.


Additional comments :

Mark Knopfler and his band joined Bob Dylan for a series of shows around England and Europe in autumn 2011. Mark is opening the show followed by a set performed by Bob Dylan. This is a recording which only features Mark Knopfler's set. Very nice to hear two new songs from Mark: Privateering and Haul away. Good sound quality.
 







Brunno Nunes

Eric Clapton feat Mark Knopfler + Phil Collins: On Tour ´87. Royal Albert Hall, London, UK - January 12, 1987

Show realizado no Royal Albert Hall, London, UK, 12th January 1987. Um dos primeiros concertos de Eric Clapton e Mark Knopfler na turnê de 1987.

Otima qualidade, as versões estão bem fresquinhas, na ocasião, Mark usava a Pensa preta, ('Mark Knopfler Special', later called Pensa-Suhr MK1) salvo engano, ele usou essa guitarra nos shows de 1987, pois ainda não tinha adquirido a Pensa-Suhr, (MK1) a qual veio adquirir em 1988.

Aqui está a tal Black Pensa




 
Espero que apreciem esse grande momento! ^^

Additional comments:

One of the early shows of Eric Clapton and Mark Knopfler on tour in 1987. Taken from the original silver pressed bootleg "On tour '87 - part one". This is a soundboard recording with very good sound quality.


Files: 15.:: Size: 266.42 MB (mp3)

Total Time: 01:56:26 hour/s.

Personnel: Eric Clapton : Guitar, Vocals :: Mark Knopfler : Guitar :: Nathan East : Bass :: Greg Phillinganes : Keyboards :: Steve Ferrone : Drums :: Phil Collins : Drums.
Notes: Additional comments for Royal Albert Hall, London, UK, 12th January 1987, featuring Mark Knopfler!: One of the early shows of Eric Clapton and Mark Knopfler on tour in 1987. Taken from the original silver pressed bootleg "On tour '87 - part one". This is a soundboard recording with very good sound quality.

Additional comments for Royal Albert Hall, London, UK, 12th January 1987, featuring Mark Knopfler! Taken from the original silver pressed bootleg "On tour '87 - part two". This is a soundboard recording with very good sound quality.

For this concert, and the previous night, Phil Collins joined the band on drums for all numbers. Steve Ferrone was back in the drum seat at the following concert (16 January) through the remainder of the European tour. This was the final night of the first Royal Albert Hall run of shows. They would continue annually until 1996...





  





Brunno Nunes 

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Crônicas sobre o primeiro álbum- (Post review)




Em 2009 eu havia postado essa matéria acerca do primeiro álbum, resolvi resgatá-la.

Bom, hoje eu gostaria de abordar os primórdios do Dire Straits, a realização do primeiro álbum.

Isso pede um pouco de>> Arqueologia Knopfleriana: ^^

O primeiro álbum do Dire Straits foi uma realização incrível, inclusive hoje em dia, a música soa fresca e inspirada. Naquele tempo foi uma revelação, relaxante e estimulante, quando tudo ao redor tentava chamar atenção com riffs repetitivos, o Punk em evidencia. Mas era o calor e o sentimento, sem complicações, o melhor da música americana do momento, eclético em suas influencias, esse era o contraste trazido pelo Dire Straits em plena era Punk na Inglaterra. Vinha do Rock and Roll, Country e o Blues, liricamente e vocalmente muito britânico e pela primeira vez em anos, havia aparecido um guitarrista que tinha algo novo a mostrar.

Outra coisa marcante, é o fato que este primeiro trabalho da banda é um álbum de canções melódicas e fortes, o quarteto estava ali para servi-las. Não é difícil de perceber que o álbum está feito de forma cronológica, uma seqüência de eventos na vida de Mark.

A canção de abertura “Down to the Waterline” volta às memórias de Mark passeando pelo rio Tyne. No livro de Michael Oldfield, lançado em 1984, em um dos capítulos, David recorda da atmosfera de “Down to the Waterline”:  quando Mark tinha 14 ou 15 anos, ele contava a David sobre como voltava cada noite de trem e via o rio e suas luzes. Recordando de uma noite que parecia perdesse com todas essas luzes e fez uma pintura do rio Tyne, a qual, David cita que os seus pais ainda a tinha na parede de casa. A imagem de Down to the Waterline vem de "caminhar" junto ao rio Tyne de noite com sua garota.


A adolescência de Mark em Newcastle foi algo que mais tarde se converteriam em canções, especialmente no primeiro o álbum.

As quatros canções seguintes, referi-se a infelizes histórias de amor, o mais provável é que veio da ruptura de seu matrimonio.

Deste modo, na suave “Water of Love” canta: Uma vez tive uma mulher que podia chamar de minha/uma vez tive uma mulher, mas agora ela se foi. Em seguida, com “Setting me Up” Tudo o que querias era um pouco de ação/Agora falas de outro homem. Na obsessiva “Six Blade Knife” Todo mundo tem uma faca que pode chamar de sua/uma agulha, uma mulher ou algo que você não pode ver. Em “Southbound again” começa: Aquela mulher com seu amante/ ele não quer ver sua cara outra vez, mas termina com um trecho otimista: Estou cansado de viver / mas eu vou continuar tentando.
Adiante, nos leva as histórias em Londres com “Sultans of Swing” a canção mais memorável do álbum, segue com “In the Gallery” inspirada em uma visita que John e Mark fizeram em uma galeria de arte moderna que pertencia a um amigo de Mark em Shaftesbury Avenue. John cita: (Estávamos dando voltas pela galeria e não podíamos acreditar na merda que estávamos vendo. Era ridículo; não havia outra palavra para aquilo, pois no que diz respeito ao que estávamos vendo, não havia nada que se considerasse uma arte.
No caminho de volta, Mark ia sentado na parte traseira do carro e estava escrevendo. Não disse nada e voltamos para Deptford completamente em silêncio. Sai do carro e lhe perguntei se vinha e me disse: “tenho que terminar algo.” Veio uma hora mais tarde e havia escrito a canção.
A principio não tinha a melodia para a canção, no entanto, quando estávamos tocando em algum lugar, tínhamos uma melodia a qual achamos interessante. “Estávamos “sentados um dia quando Mark disse:” Hey, essas duas andam juntas.”. Coisas assim acontecem ocasionalmente, era divertido.)

Duas canções ricas em imagens tiradas dos passeios de Mark pela capital: "Wild West End" uma das preferidas dos primeiros dias do Dire Straits e Lions, escrita no momento em que estavam gravando o álbum.

Mas as canções são mais do que uma perspectiva pessoal de Mark, sua vida e seus sentimentos: Existe uma mensagem universal. "Sultans" por exemplo é um retrato de uma especifica banda jazz, amadora, mostra a alegria de todos os músicos para criar e comunicar. Foi uma grande estréia e consequentemente tornou-se um clássico do Rock.Com o álbum pronto, uma pequena festa para celebrar o que eles tinham acabado de gravar com os membros da banda e a companhia de disco em um pequeno restaurante na Portobello Road.

Algumas curiosidades:

Interessante que quando Charlie Gillet passou a fita demo no programa,
 a banda estava ajudando um amigo em uma mudança e não ouviram quando Charlie Gillet tocou a demo no programa e não ouviram, na verdade, eles não imaginavam que o Chalie iria tocar a demo no programa, eles acham que ele iria dar alguma ideia do que eles fazerem com a demo. Bom, o fato é que imediatamente despertou interesse das companhias de disco.

Nos dias seguintes, pela noite, a quantidade de trabalho começou a aumentar. Durante o dia John e Mark iam em companhia industrial de disco, escutando ofertas, falando de um futuro.

“Particularmente Jonh, sabia que este era um momento crucial.” John: Queríamos saber algo sobre as companhias de disco, não sabíamos nada.
As companhias de disco estavam impacientes para firmar com o Dire Straits. Uma nos ofereceu 1.500 libras para gravar o primeiro álbum.

David lembra-se de ver um homem da A&R em um concerto em King´s Head em Islington. Obviamente eu estava em um estado de êxtase, porque pensava que eles iam assinar com a gente. Eu não sabia que se saísse bem em um concerto em um pub rock significava muito. Pensei que eram bons, mas simplesmente condicionado a fazer boa música, eu não sabia se isso chegaria a algum lugar. “

Por recomendação do jornalista Richard Williams, a banda foi ver o advogado Robert Allan, que assumiu as negociações. (Pessoa muito importante no início do Dire Straits, não é a toa que o nome dele está na capa primeiro álbum, em agradecimentos) Finalmente conseguiram um contrato aceitável com a Phonogram e assinaram no Outono de 1977. Como resultado, Mark ganhou um contrato para a publicação de suas canções com Rondor.

---X---

Contrariamente à opinião popular, as bandas não se tornam milionários do dia, assim como assinar um contrato com o rótulo tão rapidamente, no caso dos Dire Straits foi um ótimo trato e bastante incomum para uma nova banda, que lhe permitiam 3 álbuns antes que a companhia decidisse se "livrar" deles. (Coisa que jamais acontecera!) ^^

A banda recebeu um dinheiro para assinar, mas a maior parte desse dinheiro foi para pagar a gravação do disco de estreia, mais de 25.000 libras-não-reembolsáveis, ou seja, sem que nenhuma das despesas que vinham de royalties da banda. (Posteriormente, o contrato foi renegociado e os três primeiros álbuns custam mais de £ 150.000 para o quarto único Love Over Gold, custando cerca de £ 110.000).

A necessidade urgente da banda agora era conseguir um empresário que organizasse sua carreira e os ajudassem a sair dos pubs e clubs e fazer turnês de verdade. John Stainze constatou Ed Bicknell nos princípios de 1977 para dizer que a Phonogram havia assinado com o Dire Straits e necessitava urgente de um agente para conseguir-lhes concertos.

Ed foi para os escritórios da Phonogram , ouviu a fita demo de Charlie Gillet e ficou impressionado imediatamente. Fui convidado para jantar em Dingwalls, um clube no norte Londres e quando entraram, o Dire Straits começou com sua primeira canção "Down to the Waterline”
"A primeira coisa que eu reparei é que não era necessário estar no fundo da sala, estava muito quieto. Tinha acabado de se apresentar The Ramones, que eram ensurdecedores.

"A segunda coisa que eu notei foi que Mark estava tocando uma Fender Stratocaster vermelha, que imediatamente me fez pensar de Hank Marvin, E uma forma ou de outra, eu fui atraído para ela canções. O que nós estávamos tocando foi o que saiu de maneira consistente em seu primeiro LP, além de algumas canções. Basicamente é um tipo de música americana, coisas como "Eastbound Train", "Southbound again" ea versão jazzy de Chuck Berry, "Nadine".

"Na segunda ou terceira canção, fui a Stainze e disse," Eu gostaria de ser o manager desta banda, são ótimos. Digo-te uma coisa John, te daria 5% do que fizer com eles, se me conseguir esse grupo. “E ele me disse: "Porra Ed, isso é desnecessário."Ed- eu estava muito animado, eu não sabia como fazer para tê-los. O concerto terminou e Stainze levou-me até os rapazes. Quando entrei, tropecei em cima da Strat vermelha e ela caiu no chão e todos me olharam como quem diz: "O que esse cachorro está fazendo?" (rsrs) =D

No dia seguinte, Mark, John e David foram para o gabinete do Ed, que foi rapidamente transformada em um grande escritório gerente.

Ed estava trabalhando na agencia NEMS agência, principalmente conseguindo turnês para a nova onda americana, como Talking Heads, Ed deu-lhes cópias do disco de 77 do Talking Heads, e os três músicos saíram de lá para pensar na oferta. David foi relutante, Mark e John pensaram que Ed estava completamente louco, mas parecia saber o que estava fazendo. Eles ligaram no dia seguinte e disseram que aceitavam a proposta. “As rodas tinham apenas sido posta em movimento.”
Foi aí que colocou o Dire Straits para abrir os shows da turnê britânica dos Heads, em Janeiro de 1978. Não demorou para o Dire Straits torna-se a atração principal! ^^

Após a turnê com o Talking Heads, em Janeiro de 1978, o próximo passo era conseguir um produtor para o primeiro álbum, não foi uma tarefa fácil para uma banda que não era conhecida, a qual suas músicas não estavam na moda.
A lista composta por dois nomes: Pete Gage que costumava tocar com Vinegar Joe, e Muff Winwood. O irmao de Steve Winwood, havia sido membro do grupo Spencer Davis era um respeitado produtor. Winwood tinha tempo e os Straits foram para Island Studios, em Basing Street, oeste de Londres, em 14 fevereiro.

O material era essencialmente o mesmo que estavam tocando nos concertos, apesar de ter deixar de lado músicas como “Sacred Loving” escrita por David e fazia parte da demo original, Nadine de Chuck Berry," Real Girl "uma divertida música com a letra baseada em uma anúncio da revista Time Out London e "Eastbound Train"um boggie que apareceu mais tarde em um álbum e compilação o lado B de "sultans do Swing".

John continua: "Nos foram dadas três semanas para fazer o álbum, que naqueles dias parecia muito tempo para utilizar o estudo, mas, resultou que precisamos de mais uma semana. Conhecíamos todas as músicas virtualmente, mas quando chegamos ao estúdio, tivemos que começar por baixo e trabalhar todas novamente. E quando desempenhamo-las soaram muito melhor, por isso deixamo-las   assim. "

Ed disse: "As duas coisas que eu lembro é Muff dizia constantemente dizendo a Pick de tocar tempo de em vez de cheia, e Pick ficava um pouco fartos de tudo isto. "Da maneira aleatória que tudo isto se passava, Muff tinha seu tempo no estúdio e quando foram fazer o orçamento, ele aceito os 500 libras de adiantamento, em vez de 50% dos royalties, o
"Não havia muitas idéias sobre o que o álbum oferecia, na realidade, As canções falavam por si mesmas. Ninguém veio para dizer-lhes para colocar um sintetizador. John Steinze tentava por um monte de idéias e Muff também, mas basicamente o que foi gravado o que eles estavam tocando na turnê. Segundo Muff, se tivesse feito um álbum ao vivo, haveria quase nenhuma diferença.

Muff: "Eu não influencio na escolha das músicas. Posso ir aos ensaios e dizer, "não creio que essa canção funcione ", ou qualquer coisa assim, mas geralmente falar de música, nesse momento dependia deles. Agora cabe a Mark. Phonogram nunca havia interferido artisticamente desde o principio, fizemos as coisas a nossa maneira. É um pouco como se fosse um pequeno planeta que está conectado com o cordão umbilical a Phonogram, envie-nos as suas músicas e eles mandaram os discos. "

Obs:
(Parte dessas informações que trouxe nessa postagem foram retiradas do livro de Michael Oldfield, em inglês)


Brunno Nunes.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

dIRE sTRAITS LEGENDS


Hoje quase não acreditei no que vi quando me deparei com esse cartaz. A presença de um personagem muito importante na História da banda, Pick Whiters, além do grande  Mel Collins, ambos são duas grandes figuras importantíssima para a sonoridade do Dire Straits, de volta em um evento onde tocam músicas do DS.

Eu cheguei a pensar que nunca mais iria ver novamente Pick Whiters tocando alguma canção do Dire Straits, esses vídeos que seguem me trazem um alivio e grande prazer, pois Pick sempre foi e sempre será meu baterista predileto do DS e quanto que faz falta esse cara no mundo da música.













É maravilhoso poder apreciar o som dessas canções novamente com Pick Whiters, para mim ele é a grande estrela nesse evento, membro fundador. Espero que apreciem, é uma pena que eu tenha me deparado com esse evento somente agora, pois ele ocorreu em Julho desse ano, contudo, aí está o registro para análise e apreciação.

Brunno Nunes.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A capa do primeiro álbum do Dire Straits





Olá Knoplferianos(as)

É bem verdade que minhas postagem já não são tão frequentes, em virtude de meu não dispor de mais tempo como era de costume, contudo, sempre que puder, estarei trazendo algo que ao meu ver seja pertinente acerca do Universo Dire Straits.

Hoje irei abordar um pouco sobre a capa do primeiro álbum do Dire Straits, uma capa que para mim sempre foi no mínimo curiosa. Essa semana eu estava olhando a dita capa e refletindo no que ela poderia representar, qual a ligação com a sonoridade e gostaria de compartilhar minhas impressões com todos os visitantes:

 A parte da frente do LP é surpreendentemente simples como podemos ver, contudo, ela sempre me provocou um impacto profundo. O desenho em si e a dureza das cores usadas cria um clima solidão e melancolia que é evidente à primeira vista, e faz jus ao clima presente na maioria das canções desse álbum, sobretudo a faixa que encerra, a "estranha" e magnífica canção Lions, onde Mark nos leva para um fim de dia na Trafalgar Square, em plena Londres no final dos anos 70,em uma melancolia bastante distinta e atraente para amantes dessa característica presente na banda.

Essa pintura foi feita por um artista britânico chamado Chuck Loyola, essa mulher na capa do álbum é algo aparentemente pode nem chamar muito atenção, contudo, fazendo certas ligações plausíveis, podem surgir algo de intrigante,observemos:  Ela encostada na coluna, a varanda, ela sozinha no ambiente, a maneira como ela está representada, são detalhes que ao meu ver, se misturam com algumas das canções do álbum. Down to the Waterline fala de aventuras noturnas com uma garota em pleno cais;
Water of Love segue> "Lost and lonely in every way" e depois>

"Once I had a WOMAN I could call my own
Once I had a woman now my woman she gone
Once there was a river, now there's a stone
You know it's evil when you're living alone"

Setting Me Up> "Tudo o que você queria era um pouco de ação
Agora você fala sobre outro homem"

Six Blade Knife há uma metáfora um tanto "indecente" para com uma certa mulher, mas muito inteligente, irônica, "Everybody got a knife it can be just what they want it to be
A needle a wife or something that you just can't see"

Em Lions há aquela mulher, a qual Mark se coloca (como de costume) como um observador> "A girl is there high heeling across the square
Wind blows around in her hair and the flags upon the poles
Waiting in the crowd to cross at the light
She looks around to find a face she can like."

"But she’s thinking about a stranger in the night..."

A garçonete em Wild West End...   "Real Girl" é mais um exemplo, pois apesar de não ter entrado para o álbum de estreia, foi tocada nos primeiros shows da primeira turnê, outro exemplo é a mulher que está presente na canção "Eastbound Train". Vejam a letra de Lions primeiramente e em seguida observem a letra de "Eastbound Train". Enfim, é interessante perceber a presença de uma mulher nas canções acima e a presença de uma mulher na capa do álbum. Deixo aqui um pouco de minhas perspectivas, gostaria de ver a de vocês. ^^

Brunno Nunes.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Mark Knopfler - Kingdom of Gold (Live) - San Francisco 18 Ottobre 2012



Tocante, linda demais, vejo aqui algo sui generis presente em seus concertos, principalmente no que diz respeito ao quesito atmosfera, eu to de queixo no chão até agora com o que experimentei ouvindo essa versão.

Ele pois aquela boa e velha pitada de "ousadia" no final da canção, algo que tanto eu estava com saudades... Quem quer explicar esse final? É uma das coisa mais linda que já apreciei ele fazer ao vivo nos últimos tempos, diria das duas últimas turnês. Kingdom of Gold éficou incrível ao vivo, tenho certeza que a mesma coisa ocorrerá com So Far from the Clyde se ele toca-la ao vivo, o momento pede, façam o link e percebam se não é verdade.

Percebam também a atmosfera da canção ao vivo... é lindo demais, a virada que o Ian faz na bateria é, a flauta, essa música nasceu para conter flauta e esse solo... Emocionante.

Apreciem

Brunno Nunes

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Canções ao vivo do novo álbum- - Turnê Americana- 2012

Alguns canções ao vivo na turnê Americana de canções do novo álbum.





 Maravilhoso o som do pedal steel no fundo.






 Linda introdução e andamento, gostei ainda mais ao vivo.








YON TWO CROWS ficou incrivelmente linda ao vivo, muito mais potente, Knopfler realmente surpreendeu junto a sua banda, muito "gás". No mais, eu diria que obviamente no álbum Privateering existem outras canções com potêncial pra ser tocada, tal qual Blood and Water, entre outras, o fato é que qualquer uma do novo álbum será bem-vinda, já não digo o mesmo em relação a mesma de sempre Done with Bonaparte, So Far Away e Song for Sonny Liston que ainda estão presentes em seus shows. Marbletown e Daddy’s Gone to Knoxville até acho pertinente serem tocatas, uma vez que está última pouco foi tocada ao vivo e ambas cabem dentro do contexto e ou proposta musical atual presente nesta tour. Aqui deixo um pouco dos setlist que vem sendo apresentado na turnê Americana:

 08.10.2012 Saskatoon, SK / Canada 

1. What It Is
2. Corned Beef City
3. Yon Two Crows

4. Privateering
5. Redbud Tree
6. I Used to Could
7. Haul Away
8. Song for Sonny Liston
9. Done With Bonaparte
10. Hill Farmer's Blues
11. Marbletown

Encores
12. So Far Away



09.10.2012 Edmonton, AB / Canada

1. What It Is
2. Corned Beef City
3. Yon Two Crows

4. Privateering
5. Redbud Tree
6. I Used to Could
7. Song for Sonny Liston
8. Daddy's Gone to Knoxville
9. Hill Farmer's Blues
10. Haul Away
11. Miss You Blues
12. Marbletown

Encores
13. So Far Away


10.10.2012 Calgary, AB / Canada

1. What It Is
2. Cleaning My Gun
3. Privateering

4. Yon Two Crows
5. Redbud Tree
6. I Used to Could
7. Song for Sonny Liston
8. Daddy's Gone to Knoxville
9. Hill Farmer's Blues
10. Marbletown

Encores
11. So Far Away


12.10.2012 Vancouver, BC / Canada

MARK KNOPFLER
1. What It Is
2. Corned Beef City

3. Privateering
4. Yon Two Crows
5. Redbud Tree
6. I Used to Could
7. Song for Sonny Liston
8. Done with Bonaparte
9. Hill Farmer's Blues
10. Haul Away
11. Marbletown


13.10.2012 Seattle. WA / USA
1. What It Is
2. Cleaning My Gun
3. Privateering
4. Yon Two Crows

5. I Used to Could
6. Song for Sonny Liston
7. Daddy’s Gone to Knoxville
8. Hill Farmer's Blues
9. Miss You Blues
10. Marbletown

Encores 
11. So Far Away


15.10.2012 Portland, OR / USA
MARK KNOPFLER
1. What It Is
2. Corned Beef City
3. Privateering

4. Yon Two Crows
5. I Used to Could
6. Song for Sonny Liston
7. Done with Bonaparte
8. Hill Farmer's Blues
9. Haul away
10. Marbletown

Encores 
11. So Far Away


17.10.2012 San Francisco, CA / USA 

1. What It Is
2. Corned Beef City
3. Privateering

4. Yon Two Crows
5. I Used to Could
6. Song for Sonny Liston
7. Done with Bonaparte
8. Hill Farmer's Blues
9. Haul away
10. Marbletown

Encores 
11. So Far Away
      





Aqui temos um dos melhores vídeos até então dessa nova tour:




Privateering




San Francisco Bill Graham Auditorium Oct 17, 2012




 Song for Sonny Liston




San Francisco Bill Graham Auditorium Oct 17, 2012

  Brunno Nunes.

Dire Straits

Dire Straits
A voz e a guitarra do Dire Straits ao vivo em Cologne, 1979