quinta-feira, 31 de maio de 2012

O novo álbum de Mark Knopfler- Privateering- 2012

Mais uma vez Knopfler surpreende a todos, especialmente nesta ocasião, seu novo álbum é duplo. Será lançado dia 03 de Setembro, 2012, e em seguida, (como de costume), ele deverá fazer a promo do álbum, realizando apresentações de algumas canções em programas de tv, bem como realização de showcase. É o que se espera, "para nossaaaaa alegriaaaaaa!!!!!!" ^^

Mas independente de haver showcase ou não, o fato é que estaremos sendo presenteados com um trabalho, no mínimo, singular em sua carreira, pois ele nunca lançou um álbum duplo de estúdio desde o Dire Straits. É válido citar que há praticamente 30 anos atrás isso iria acontecer, teriamos um álbum duplo de estúdio, o álbum Love Over Gold, mas devido a alguns motivos de contrato com a gravadora, não possível.
Agora temos 20 novas canções Knopflerianas para apreciar neste seu novo álbum duplo, e penso que 'Privateering' tem tudo para superar o que considero ser seu melhor trabalho solo até então, Sailing to Philadelphia, que ainda é o meu predileto, me recordo que em 2000, no lançamento do Saling to Philadelphia, Knopfler citou que seu melhor trabalho ainda estava por vir, então vieram álbum diferentemente lindos até Get Lucky, mas enfim, é esperar para ver o que nós aguarda em 'Privateering'.

Assim como todo lançamento, esse álbum desperta bastante curiosidade quando olhamos os títulos das canções, olhando por um certo ângulo, são 20 canções, 3 delas já vimos a prévia na tour com Dylan em 2011, Haul Away, Corned Beef City, Privateering, contudo ao vivo, em estúdio agora não deixa de ter outro sabor. Don't Forget Your Hat (não esqueça seu chapéu), Miss You Blues, Bluebird (pássaro azul), essas soam country, Blues, já Dream Of The Drowned Submariner eu não faço ideia de como deverá ser tal canção, e isso é sempre bom, pois aguça ainda mais a curiosidade curtir uma por uma! ^^

CD 1
1.Redbud Tree
2.Haul Away
3.Don't Forget Your Hat
4.Privateering
5.Miss You Blues
 6.Corned Beef City
7.Go, Love
8.Hot or What
9.Yon Two Crows
10.Seattle

CD 2

1.Kingdom Of Gold
2.Got To Have Something
3.Radio City Serenade
4.I Used To Could
5.Gator Blood
6.Bluebird
7.Dream Of The Drowned Submariner
8.Blood And Water
9.Today Is Okay
10.After The Bean Stalk

 Brunno Nunes

14 comentários:

Arthur Brendler disse...

Grande Brunno,

Esse album vai ser foda mesmo.
De acordo com o GF, o disco conta uma história e pode, sim pode ser tocado na íntegra durante os shows. Acho difícil, mas nao custa esperar. tomara que ele abandone as músicas do DS de de vez, porque sempre as mesmas desde 1996 é demais.

Tô sentindo algo bem guitarrístico nesse disco

Abração.
Arthur

Rodrigo disse...

Com certeza será demais, esse cara é um gênio.

Rodrigo disse...

Aguardando com ansiedade.

Demerivas2 disse...

Como voce vem disse, para noooosa alegriaa...
abracos

Rodrigo disse...

Tem algum single rolando pelo youtube?

Arthur Brendler disse...

Por enquanto nada de single. Acredito que daqui ha uns 20 dias deve sair alguma coisa. Dessas músicas, só as já citadas pelo Brunno se acham no YT. No mais, é ésperar pra ver.
Não sei se o disco vai vazar antes do lançamento assim como o 'Get Lucky' foi.

Só faltam suas considerações Brunno

David Furtado disse...

Oi, sou mais um fã a partilhar a antecipação face a este novo disco. Ainda por cima duplo, vai realmente marcar a carreira de MK. Do que ouvi até agora, não achei nada de especial, mas é uma opinião pessoal. Entretanto, pode-vos interessar este recapitular da carreira do mestre:

http://davidlfurtado.wordpress.com/2012/01/12/mark-knopfler-money-for-something/

Está lá outro texto sobre Sultans e, para breve, farei mais um especial. (A quem interessar.) Cumprimentos a todos.

David Furtado disse...

Na sua análise das canções, você copiou descaradamente o que escrevi no meu artigo, sem me dar qualquer crédito. A isso chama-se plágio. Por isso, deixo-lhe aqui mais material que você desconhece, para poder continuar a plagiar, a pilhar. Você, no fundo, é o verdadeiro "privateer". E considera-se um "editor"?!...

http://davidlfurtado.wordpress.com/2012/09/06/privateering-com-mark-knopfler-no-navio-dos-piratas/

David Furtado disse...

E se você tiver um pingo de honestidade intelectual ou seriedade, vai deixar este comentário aqui, para que todos vejam o modo como copia e plagia material que não é seu, "Sr. privateer". Que grande lata!

Brunno Nunes disse...

David Furtado

Quanto exagero de sua parte, não sinta tanto seu ego ferido, eu confesso que fiz uso de
parte de um texto seu para a introdução da Análise musical de It Never Rains.

Segue a parte:

"(Ao ouvir os reparos de um lojista acerca das estrelas da MTV, Knopfler escreveu «Money
for Nothing». «Calling Elvis» inspirada em numa frase do cunhado, “quando tento telefonar
para sua mulher, parece que estou a ligar para Elvis”.. Outras que possuem pitadas de um
certo desdém, ironia ou deboche como em, The Last Laugh, Everybody Pays, Devil Baby», em
tom irônico, descreve os tristes espetáculos dos reality shows de Jerry Springer. Há ainda
aquelas que expressam desprezo sobre certas atitudes e certos tipos de pessoas, Rudiger,
(sobre um fã fanático, colecionador de autógrafos) Industrial Disease, Posters Badges
Stickers, Communique, El Macho. Lady Writer, Where Do You Think You Are Going e Romeo and
Juliet, que também remetem para relações pessoais, não é diferente em It Never Rains.

Muitas outras canções conhecidas trazem figuras públicas, então elas são mais fáceis de
decifrar, não por acaso, os Estados Unidos sempre fascinaram os músicos a vários níveis.
Porém, Mark observa o país a três dimensões. Nem Ray Kroc – fundador da McDonalds – escapa
à ironia de Knopfler, que lhe dedicou «Boom Like That», equiparando-o a um crocodilo… Em
«Don’t Crash the Ambulance», Knopfler imagina vários conselhos que Bush pai terá dado a
Bush filho, elaborando uma crítica sarcástica à agressiva política externa da presidência e
à intervenção no Iraque:
“We don’t like accidents/Major or minor/You don’t want yourself an incident/don’t ever
invade China.” Na voz de Bush pai, afirma: “You can’t move the barriers/You can’t mess with
oil and gas/Had to go down there/Stick a couple/Aircraft carriers/In his ass…”

Já screveu sobre dois paparazzi em «Vic and Ray», sobre as mulheres viciadas em compras em
«Imelda», ou sobre os excessos dos “roadies” em «Heavy Fuel». Descreveu o West End
londrino, e relatou “um penoso espetáculo de cabaret gay” em Munique, no tema «Les Boys».
Muito do álbum On Every Street, que marcou o regresso dos Dire Straits em 91, é negro e
opressivo, o que se deve à fase terminal do seu segundo casamento.
«Ticket to Heaven» é uma crítica mordaz aos evangelistas televisivos, equanto Em «Iron
Hand», a “mão de ferro” remete para “dama de ferro”. O tema é resultado de mais uma
reflexão. Ao assistir, na TV, à carga violenta das tropas montadas a manifestantes, na
greve dos mineradores durante o governo de Margaret Thatcher, Knopfler lembrou-se da época
medieval e concluiu que o Homem não mudou muito.)"

Brunno Nunes disse...

omo pode ver, eu acabei acrescentando algo a mais em suas palavras, posso ter errado sim
em não lhe dar os créditos, quanto a parte de sua citação, peço-lhe desculpa por isso, mas
até Knopfler usou comentários de um trabalhador de uma loja eletrodomésticos em NY e fez o
clássico Money for Nothing e não deu os créditos aos caras, se isso foi um erro, não que eu
queira imitá-lo ou justificar o que fiz, mas eu não construi esse espaço com plágios como
sua pessoa insinua, está se baseando pelo que fiz em usar apenas uma citação de uma matéria
que você fez, e acrescentando um pouco mais de elementos para introdução de uma análise
musical (da qual não há absolutamente nada nem parecido na net), um trabalho de pesquisa a
qual não medi esforço para concluir junto a ajuda de uma grande fã, Greice Feital, o que
resultou na análise musical de It Never Rains? Va adiante e veja se o conteúdo dessa página
contém devaneios ou plágios.

Eu não vou apagar nada do que você escreveu, David Furtado, não sou um poço de sabedoria
como você ironicamente citou, e pelo teor de seus comentários, fica claro que bateu-lhe uma
chama de inveja ao se deparar com o material aqui presente.

Já não preciso te provar que tenho honestidade intelectual ou seriedade, te mostro até
humildade, coisa que parece que você é desprovido, agora lhe desafio a provar que o
conteúdo aqui é retirado doutros sites e blogues!

Quem tem o mel, dá o mel, quem tem o fel dá o fel, que não tem nada, nada dá, David
Furtado, eu quero ver o que você tem pra dá.


Não obstante, não posso deixar de opinar que você parece mostrar-se aqui mais como um semeador da discórdia, capaz de influenciar a massa cefálica de Gilson, Minas Gerais, o mesmo desafio serve pra você também, Gilson, porque não te dar o trabalho de verificar a fundo ao invés de me chamar de sacana, só porque leu um generalizador com o ego ferido!


Anônimo disse...

Li os comentários e detetei esta brutal fraude!!!!!

"Pesquisa séria?" "indo aos lugares certos", lá isso foi, para plagiar parágrafos de um cara do wandrin star, david.

"O que será apresentado nas linhas abaixo é algo que jamais alguém ousou penetrar com tanta profundidade e publicar, é fruto de uma pesquisa séria ao longo de alguns meses, onde me cerquei de todas as informações que eu dispunha em meu acervo, indo nos lugares certos, contudo, foi no ato de traduzir esta canção, junto com minha querida amiga Knopfleriana, Greice Feital, que muita coisa interessante aconteceu e se conectou, fazendo dessa canção ainda mais especial para mim, e para Greice, espero que o mesmo ocorra com você, leitor e seguidor do Blog Universo Dire Straits.

Gostaria de dedicar esta análise a todos os fãs, em especial aos fãs que foram além das coletâneas, aqueles que sabem detectar uma pérola negra, a todos os meus amigos(as) Knopflerianos(as) do Brasil e do mundo."

Dedique, e assine em baixo, plagiando artigos inteiros a copy paste.Desonesto! Grande fraude!

Vinicus. São Paulo, Brazil.

Brunno Nunes disse...

Vinicus, caluniador, porque não prova que plagiei artigos inteiros?
Que ridículo o que você fez, tudo o que fiz foi fazer uso de PARTE de uma citação do David, na qual acrescentei alguns outros elementos para incrementar a introdução da Análise musical de INR, introdução esta, que não se faz essencial para toda a análise musical de INR.

Tá querendo me colocar como um Judas agora, de uma gota quer fazer um oceano de problemas, não vou perder meu tempo com você e mais alguns outros, já pedi desculpas ao David por não ter dado créditos em fazer uso de sua citação, mas uma citação não é um artigo inteiro como foi colocado por vocês de maneira completamente desnecessária.
É bom vocês saberem que a minha reputação não será abalada como vocês estão pleiteando, não pensem que com isso vocês vão conseguir, eu não preciso de nenhum de vocês, ao contrario de vocês que aqui já estiveram muitas vezes. Exceto pelo David, que de fato encontrei o seu site e fiz uso de uma citação do mesmo, posso ter errado por não ter lhe dado os créditos, mas quanto a isso, eu não o fiz com intuito de me fazer o rei do conhecimento ou dono da verdade, esta última não tem dono, outra coisa, a citação que fiz uso não foi determinante para todo o resto da análise musical de It Never Rains, na verdade se esse citação tivesse ficado de fora, a análise musical passaria muito bem obrigado, pois de fato a mesma não dependeu de absolutamente nada da citação na introdução, os víeis fundamentais foram outros e deixei os links úteis para quem quiser conferir.
Começo a achar que se trata de uma única pessoa que aproveitou o ensejo promovido David Furtado e agora está no intuito de querer provocar uma desarmonia e isso eu não vou permitir. Ainda que eu esteja equivocado neste ponto, ainda assim, seria menos de meia dúzia de hipócritas, coisa que infelizmente está presente em todos os lugares. Não sou santo, tenho muitos defeitos, mas essa da hipocrisia e desonestidade eu não disponho, então cambada, é bom vocês pararem por aqui, ou não me importarei nem um pouco em promover mudanças simples e determinantes a fim de evitar pessoas desprezíveis como vocês por aqui!

Anônimo disse...

Confiram no youtube, um carinha postou todas as músicas.

Dire Straits

Dire Straits
A voz e a guitarra do Dire Straits ao vivo em Cologne, 1979