sexta-feira, 18 de maio de 2007

Arqueologia Knopfleriana ^^

O embrião do que seria o Dire Straits começaria ainda na segunda guerra mundial, quando o arquiteto judeu Erwin Knopfler foge de sua terra natal, Hungria devido as tropas de Hitler. Assim, eles se estabelecem em Glasgow, Escócia, em 1939. Casou-se com a professora Louisa Mary Knopfler e em 1947 nasce Ruth, primeira filha do casal. Dois anos mais tarde, em 12/08/49, nasce Mark Freuder Knopfler e logo após dá-se o nascimento de David (1951). Quando Mark tinha sete anos, a família muda-se então para Newcastle. Lá, ele e David estudariam guitarra a partir dos 13 anos.

Paralelamente, ele continuou a estudar chegando a se formar em Jornalismo. No entanto, a música corria mais forte nas veias de Mark, razão pela qual tenta a vida como músico de rock em Londres. No entanto, a primeira tentativa não deu muito certo e ele acabou retornando para Newcastle. Assim, recém casado, ele acaba indo trabalhar na fazenda de seu sogro em Leeds. Foi lá também, que Mark trabalhou no Yorkshire Evening Post, como repórter e crítico musical. Em 1973, Mark participou de uma banda chamada Brewer's Droop, como guitarrista. O conjunto tocava em pubs e chegou até mesmo gravar um disco +chamado The booze brothers, que chegou a relançado em 1989. Em 1976, Mark retorna a Londres, convidado por seu irmão David (que era funcionário público), para com ele dividir o aluguel de um apartamento localizado no bairro Deptford, onde também morava John Illsley que, além de tocar baixo nas horas vagas, era estudante de sociologia e empregado em uma loja de discos. No ano seguinte, Mark Knopfler passou a ser professor de inglês para crianças no Loughton College. Paralelamente, ele, o irmão e Illsley já tocavam em Pubs e compunham algumas músicas. O Dire Straits finalmente começa a pegar forma quando Mark Knopfler convida seu antigo amigo e baterista Pick Withers (Brewe's Droop) para juntar-se ao grupo. O primeiro nome da banda foi Cafe Racers.

Com este nome, eles estrearam num festival Punk em que a atração principal era a banda Squeeze. Na ocasião, o conjunto se apresentou em condições precárias. Um amigo de Pick, observando a lamentável condição financeira do grupo, sugeriu que eles se chamassem de Dire Straits (que significa penhasco terrível, algo como a beira do precipício, na língua inglesa, porém, é uma expressão usada para expressar quem está sem dinheiro, "duro"). Eles gostaram do nome e já no segundo show abrindo para o Squeeze, no Albany Theatre, a banda estava se chamando Dire Straits. Com muita dificuldade eles conseguiram juntar U$ 180,00 e gravar uma fita demo (que incluía “Sultans of Swing”). Trabalharam como cães, pois esta era a única maneira de conseguir uma certa homogeneidade de conjunto. Com material gravado, o Dire Straits enviou a demo para o famoso DJ Charlie Gillett. Ele chegou a colocá-la para rolar no seu Honky Tonk show. Coincidentemente, o diretor da Phonogram A&R, John Stainze, estava ouvindo e pouco tempo depois eles assinavam com o selo Vertigo. Na ocasião, ele apresentou-lhes a Ed Bicknell, que viria a ser o empresário da banda. Através de seu empresário, o Dire Straits passa a abrir os shows do grupo Talking Heads. Com tudo nos eixos, a banda lança seu primeiro disco intitulado apenas Dire Straits (1978), o qual já tinha sucessos como “Sultans of Swing” e “Down to the waterline”.Lançado o álbum, o Dire Straits para sua primeira turnê européia. Com o estouro de “Sultans Of Swing”, a banda começa a chamar à atenção de todos. Em conseqüência, o grupo assina com a Warner Brothers nos EUA, para lançar o disco de estréia lá, bem como produzir um segundo trabalho de estúdio, no Compass studios, Nassau, Bahamas, 27 de Nov. de 78/ 10 de Jan. de 79.

Assim, no seguinte, o Dire Straits lança seu segundo álbum chamado Communiqué (1979). O disco já trazia sucessos como “Lady Writer” e “Portobello Belle”, dentre outras). Enquanto isso, o 1º disco chega ao 1º lugar na Austrália e alcança o top10 nos EUA e Europa. Com Dire Straits estourado nos Estados Unidos, o grupo parte para sua primeira turnê americana com 51 shows sold out em 38 dias. Assim, “Sultans of Swing” chega ao 4º lugar e o primeiro disco ao 2º lugar nas paradas americanas. Após um show em Los Angeles, Mark Knopfler e Pick Withers são convidados por Bob Dylan para tocar em seu álbum Slow Train Coming. Paralelamente, o segundo trabalho, Communiqué (1979) alcança o 5º lugar na Inglaterra, a 11ª posição nos EUA e 1º colocado na Alemanha. Na mesma época, o Dire Straits anuncia uma parada de 6 meses.Em 1980. o Dire Stratis lança seu terceiro disco de estúdio, o Making Movies que trazia grandes canções como “Romeo and Juliet” e “Tunnel of Love”. No entanto, o álbum não emplaca como nos trabalhos anteriores. Durante as gravações de Making Movies, o Dire Stratis sofre sua primeira baixa quando David Knopfler deixa a banda por desentendimentos com seu irmão Mark, uma vez que ele queria mais espaço para compor e cantar suas próprias músicas. Assim, ele parte em carreiro solo. Em seu lugar entra o californiano Hal Lindes (que também era tecladista de Alan Clark).

Depois de um longo período de shows, o Dire Straits lança Love Over Gold (1982). O material surpreende os fãs e a mídia especializada, pois que traz uma proposta totalmente diferente dos discos anteriores já que era composto com apenas 5 longas músicas, numa linha bastante progressiva. Além delas, a canção “Private Dancer” (que ficou de fora do álbum) acaba sendo lançada mais tarde lançada por Tina Turner em álbum do mesmo nome. O disco, produzido por Mark Knopfler, fez com que a cantora retornar-se ao estrelato. Logo após as gravações, Pick Withers deixa o grupo (pois não queria ficar longe de sua mulher e seus filhos e sair em mais uma turnê) para formar uma banda de Jazz. Outro fato que contribuiu foi à adição de dois tecladistas ao grupo deixando a bateria em segundo plano. Foi sucedido por Terry Willians a partir do compacto 'Twisting By the Pool'. No ano seguinte Mark Knopfler grava sua primeira trilha sonora: Local Hero. O disco chega a um inesperado 14º lugar nas paradas. “Private Investigations”, faixa de Love Over Gold, torna-se o maior hit do Dire Straits no Reino Unido. Em consequüência, o álbum alcança o 1º lugar em 16 países, exceto os EUA, onde ficou em 19º lugar. Paralelamente chega ao mercado um material chamado Extendedanceplay, contendo apenas 4 faixas: “Twisting By The Pool”, “Two Young Lovers”, “If I Had You” e “adges, Posters, Stickers, T-Shirts”. O novo disco traz o novo baterista, Terry Willians, que entrou no lugar de Pick Withers.Com a nova formação o Dire Stratis parte para uma vitoriosa turnê pela Europa, Austrália, Nova Zelândia (onde batem o recorde de público do país e tocam para 62.0000 pessoas) e Japão.

Ainda no mesmo ano, na manhã de 10 de Novembro de 1983, numa discreta cerimônia em que estiveram presentes apenas John Illsley, o empresário do grupo Ed Bicknell, além de alguns parentes, Mark Knopfler casa-se com Lourdes Salamone no Chelsea Register Office. Após a concretização do patrimônio, na parte da tarde foi oferecido uma grandiosa recepção, já com toda a banda e centenas de convidados. A festa durou até a manhã do dia seguinte. Porém, não houve tempo para lua de mel, já que o líder do grupo estava ocupado mixando o novo disco do Dire Straits.Assim, em 1984 é lançado o duplo Alchemy, primeiro álbum ao vivo oficial do Dire Stratis. O lançamento foi bem recebido e alcançou o 3º lugar no Reino Unido e 46º nos EUA. Enquanto isso, Mark Knopfler produziu mais duas trilhas sonoras: Cal e Comfort and Joy (este um EP com apenas 3 músicas). Durante esses trabalhos, ele conhece Guy Fletcher que posteriormente é convidado a integrar o grupo como segundo tecladista. No mesmo ano é lançado o primeiro álbum solo de David Knopfler: Release (com participação de Mark Knopfler e John Illsley). Paralelamente chega ao mercado o debut de John Illsley: Never Told a Soul (tendo Mark Knopfler e Terry Willians como convidados). Em 1985 é lançado o álbum de maior sucesso da carreira do Dire Straits : Brothers in Arms (que veio recheado de hits como “So far away”, “Money for nothing”, “Walk of life”, “Your latest trick”, “Why worry”, além da faixa título entre outras). O disco consegue o primeiro lugar em quase todo o mundo, incluindo-se EUA, Europa, Japão e Brasil.

O guitarrista Hal Lindes, que havia substituído de David Knopfler, saiu durante as gravações de Brothers In Armas devido as suas "diferenças musicais". Em seu lugar foi chamado o então desconhecido Jack Sonni. O novo integrante trabalhava numa loja de instrumentos musicais Rudy's Music Shop, em New York, onde Mark Knopfler era cliente. Daí nasceu a amizade e posteriormente o convite. Eis a razão pela qual nos clipes e shows dessa época, ele era o mais animado, além de estar quase sempre rindo. Afinal, para ele, era como se tivesse tirado a sorte grande. A outra mudança na formação do Dire Straits foi com a entrada do saxofonista Chris White. Brothers in Arms foi um dos primeiros álbuns a ser produzido em sistema inteiramente digital (DDD), tornando o Dire Straits um dos grandes responsáveis pela explosão dos CD's em substituição aos LP's. Isto porque embalados pelo sucesso de BiA, muitas pessoas renovaram suas coleções em vinil do DS, pelo formato do CD.No primeiro ano de lançamento neste novo formato, o conjunto tinha 5 dos seus 6 álbuns na lista dos 10 CD's mais vendidos no mundo. Chegando a existir mais CD's do Dire Straits vendidos do que propriamente Cd players. O sucesso de Brothers in Arms proporcionou com que o Dire Straits realizasse a mais longa turnê de uma banda de rock até então. O conjunto se apresentou em 117 cidades, com 221 shows em 366 dias, o que resultou em mais de 3,5 milhões de ingressos vendidos. Algumas das seqüências das apresentações são impressionantes, como as 23 noites ininterruptas no Reino Unido, em dezembro de 1985. Como em julho do mesmo ano, quando o grupo tocou no Live Aid (concerto beneficente), ocasião em que atingiu o pico de audiência do evento quando tocou para mais de 1 bilhão de telespectadores. Isso é um fato! ^^

A surpreendente turnê teve seu final apoteótico. Para ser idéia, estavam programadas cinco apresentações na Austrália, com poucos dias de ingressos vendidos. Já eram contabilizadas mais de 15 apresentações extras. As coisas estavam tão fora de controle que Mark Knopfler teve que aparecer nas TV's locais pedindo para que os fãs parassem de comprar ingressos, pois eles estavam exaustos e tinham que voltar para casa. Diante de tanto sucesso, Brothers in Arms torna-se o disco mais vendido na Inglaterra em todos os tempos, além de ser o internacional mais vendido no Brasil com 850 mil cópias. Assim não era mais nenhuma surpresa que o clipe de “Money for nothing” torna-se o mais tocado na MTV em todos os tempos (fato que permanece até hoje). Com mais de 21 milhões de cópias vendidas, o Brothers in Arms se torna um dos mais vendidos no mundo, sendo o 2º disco que mais tempo permaneceu nas paradas, onde ficou por 97 semanas. Depois de uma longa e exaustiva maratona de shows, entrevistas, aparições nas TV's e com a 5º maior fortuna da música inglesa (estimada em 90 milhões de dólares), Mark Knopfler decide tirar umas férias e o Dire Straits deu uma paralisada temporariamente em suas atividades. Apesar do Dire Straits estar fora do circuito musical, em agosto de 1986, Mark Knopfler participou com uma faixa da trilha sonora The Color of Money. Ainda, ao lado de John Illsley, participou do Prince's Trust concert (show patrocinado pelo Império britânico) com Eric Clapton, Elton John, Phil Collins, Paul McCartney, Tina Turner, Brian Adams e Sting entre outros.

Coincidência ou não, menos de um ano após, em novembro de 1987, nasciam seus primeiros filhos, os gêmeos Benji e Joseph. Ainda no mesmo ano, Mark Knopfler gravou mais uma trilha. Desta vez para The Princess Bride (A Princesa Prometida), com a participação de Guy Fletcher. Em 1988, com o Dire Straits ainda de molho, John Illsley lançou seu segundo álbum solo: Glass. Já Mark Knopfler produziu duas faixas do álbum Break Every Rule de Tina Turner, além de incluir uma música sua chamada “Overnight Sensation”. No embalo, o líder da banda se junta a Eric Clapton para participar de uma turnê pela Europa e EUA.Em junho do mesmo, o Dire Straits retorna aos shows com duas apresentações exclusivas para fã-clubes no Hammersmith Odeon (Londres) e encerra o tributo à Nelson Mandela no estádio de Wembley. Eric Clapton esteve como convidado especial em ambos. No mês de outubro chegava às lojas a coletânea Money For Nothing, que teve grande sucesso mundial, ficando no 1° lugar nos EUA, Reino Unido e Brasil. No ano seguinte, Mark Knopfler lança a trilha sonora Last Exit to Brooklin (Noites Violentas no Brooklin). Apesar de creditado ao líder do Dire Stratis (que compôs e produziu, mas toca em apenas uma faixa) o disco é basicamente do tecladista Guy Fletcher (que toca em todas as faixas). Em 1990, juntamente com Guy Fletcher, o líder do Dire Straits formou o grupo country The Notting Hillbillies (os caipiras de Notting Hill em referência ao famoso bairro de Londres onde Mark Knopfler morava). A nova banda não só faz alguns shows como lança o ótimo Missing... Presumed having a good time, o qual chegou inclusive a alcançar o top10 britânico. Com o conjunto em evidência começavam os rumores sobre o fim do Dire Straits . Para dar mais força ainda aos boatos, logo após é lançado o álbum Neck and Neck, que contava com o veterano guitarrista americano Chet Atkins e mantinha a linha country de Mark Knopfler.

Para dar fim aos rumores, após um encontro com John Illsley, Mark Knopfler decide retomar com o Dire Straits . Assim, a banda chegou a participar do festival beneficente Knebworth em 90 tocando com Eric Clapton e Elton John.Em 1991, o Dire Straits lança mais um álbum de estúdio: On Every Street que foi produzido pela própria banda. O material traz creditados oficial aos tecladistas Alan Clark e Guy Fletcher, além dos membros originais Mark Knopfler e John Illsley. Participaram ainda como convidados no disco e posteriormente nos shows os seguintes músicos: Chris White (saxophone), Paul Franklin (pedal steel guitar), Phil Palmer (guitarra), Chris Whitten e Jeff Porcaro (este somente no álbum - bateria) e Danny Cummings (percussão). O grupo sai em turnê pelo mundo e apesar das boas vendagens de On Very Street (1º no Reino Unido, 1º nos EUA e 4º no Brasil, em torno de 8 milhões de discos vendidos) , as vendas dos ingressos não alcançaram o sucesso esperado. Segundo os críticos, tal fato se deu pelas expectativas em torno do "sucessor" de Brothers in Arms serem muito grandes. “Apesar de não serem muito divulgadas a balada Ticket to Heaven e a country “How Long” são gratas surpresas ao lado das excelentes” Calling Elvis” e “Heavy Fuel”.No entanto, em 1993, ao fim da turnê patrocinada pela Philips e com custos de U$ 32 milhões, são contabilizados mais de 3.545.000 ingressos vendidos, em 211 shows, passando por 22 países. Barrando em alguns milhares a turnê de Brothers in Arms . Apesar do retorno ao sucesso, o Dire Straits paralisa mais uma vez suas atividades.Ainda em no mesmo ano, o Dire straits lançou o ao vivo On The Night que mostra a banda na On Every Street Tour . No embalo, chega ao mercado o single Encores(Bis) com 4 músicas que, por falta de espaço, não puderam ser incluídas no álbum.


Em maio de 93, morre Erwin Knopfler, pai de Mark e David, aos 84 anos. Paralelamente, John Illsley inicia-se em outra atividade como pintor, ocasião em que seus quadros chegaram a ser exibidos na National Gallery. Já Alan Clark passou a se dedicar a construir um estúdio no jardim de sua casa, além de compor trilhas para documentários de TV, entre eles o campeonato Mundial de dominó.Por sua vez, Mark Knopfler lança uma coletânea de suas trilhas sonoras: Screenplaying. Isso sem mencionar o fato de que ele tirou da geladeira o Notting Hillbillies para alguns shows beneficentes em Leeds, Newcastle e Londres. Alan Clark junta-se ao grupo em virtude de Guy Fletcher estar na California (curtindo seu hobbie, o Windsurfing).No fim de 1993, o saxofonista Chris White sofre um grave acidente ao pilotar sua moto Kawasaki pela Edgware Road (estrada no interior da Inglaterra). Ao colidir com um carro, ele fraturou uma das pernas além de luxações pelo corpo todo. Em conseqüência, ele passou o ano seguinte inteiro para se recuperar. Ocasião em que colocou um pino de platina na perna e não voltou a tocar.Na mesma época do acidente, Mark Knopfler separou-se de Lourdes e iniciou o namoro com atriz Kitty Alldridge, do seriado inglês To Play the King. John Illsley também separa-se de sua namorada Tracey (mãe de sua segunda filha Jessica) e passa a namorar a atriz Cherie Lunghi. Em setembro de 1994, Mark Knopfler anuncia o lançamento de seu primeiro álbum solo (excetuando-se as trilhas), para o começo de 1995, com direito a uma turnê mundial. Enquanto isso, seu irmão David Knopfler lança o CD Giver. Já em 1995, é lançado Live at BBC , mostrando um Dire Straits ainda em busca do estrelato, do tempo em que a banda era só baixo/guitarra/bateria. Com músicas nunca antes mostradas ao vivo, o material foi inteiramente produzido pela BBC, sem qualquer participação da banda na produção.

Pouco antes do lançamento de seu disco, Mark Knopfler volta atrás e o adia por um ano. Conhecido por seu perfeccionismo, ele não ficou satisfeito com o resultado e decidiu compor novas músicas, Assim, somente em abril de 1996, finalmente é lançado o álbum solo de Mark Knopfler intitulado Golden Heart (dedicado a sua namorada Kitty). O material mistura gêneros musicais típicos escoceses e irlandeses com o country americano. Apesar das mudanças musicais, a veia do Dire Straits se manteve presente em faixas como “Darling Pretty”, “Imelda”, “Cannibals” e “I'm The Fool”, fazendo com que elas superassem as canções presentes no On Every Street (1991). Entre abril e outubro de 1996, Mark Knopfler e banda (composta pelo tecladista Guy Fletcher, Paul Franklin entre outros novos músicos) saem em turnê somente pela Europa. Apesar da volta dos rumores de que seria o fim definitivo do Dire Straits, tanto o líder do grupo como Guy Fletcher responderem que tudo podia acontecer no futuro. Em novembro de 96, Mark Knopfler junta-se a Bob Dylan e ambos regravam a clássica “Knockin on Heaven's door” que fez parte do compacto Dunblane Charity Single , em benefício das famílias que perderam seus filhos na tragédia de Dunblane, na Escócia (quando um homem invadiu uma escola naquela cidade e com uma metralhadora saiu atirando em todose matando 16 crianças). O single (com 4 músicas) é parte de uma campanha pelo desarmamento da população inglesa e alcançou o topo das paradas logo após seu lançamento. Em 17 de fevereiro de 97, numa discretíssima cerimônia em Barbados, Mark Knopfler casa-se (pela 3º vez) com a atriz Kitty Aldridge, de 34 anos. Nos meses seguintes, acontece uma mini turnê, com 12 apresentações, do Notting Hillbillies.

Os shows feitos todos pela Grã-Bretanha são um sucesso total. Com seus ingressos se esgotando um mês antes. O repertório passeia pelas músicas e covers do Notting Hillbillies, além de algumas músicas do Dire Straits e do recente álbum de Mark Knopfler, Golden Heart. Em junho do mesmo ano Mark Knopfler entra em estúdio juntamente com Guy Fletcher, e a mesma banda que participou da turnê e do Álbum Golden Heart. Foram gravadas cerca de 10 músicas. No dia 15 de setembro, Juntamente com Elton John, Eric Clapton, Sting, Phill Collins e Paul McCartney, além de outros músicos, Mark Knopfler participa do super show em Benefício a ilha de MontSerrat (pequena ilha devastada no Caribe e onde foi gravado o álbum Brothers in Arms ). Acompanhado de Guy Fletcher, ele tocou “Going Home”, “Brothers in Arms” e “Money for Nothing” (esta acompanhado de Sting, Eric Clapton e Phill Collins na bateria). Ele ainda tocaria com Clapton em “Layla” (um dueto em versão acústica) e “Some Old Blues”, e, no fim do show com Paul McCartney, quando todos retornaram ao palco numa jam session encerrada com “Hey Jude” e “Kansas City”. Este show acabaria sendo a última apresentação do veterano guitarrista Carl Perkins (autor das lendárias Blues Sued Shoes e Kansas City), já que ele viria a falecer em janeiro de 98. Em 13 de janeiro é lançado o filme Wag the Dog. A trilha composta por Mark Knopfler dura 24 minutos, com 8 músicas, sendo que a faixa título contém letra. O longa recebeu 2 indicações para o Oscar (melhor roteiro original e melhor ator para Dustin Hoffman, sem levar nenhuma). Alguns dias depois, precisamente no dia 17 de janeiro 98 nasce em Londres, Isabella, primeira filha de Mark Knopfler com sua atual esposa Kitty Aldridge.Já em julho do mesmo ano, Mark Knopfler participa com um show no Chet Atkins Music Days, festival de cunho beneficente realizado em Nashville, e organizado pelo veterano guitarrista country Chet Atkins.

Neste período, o Notting Hillbillies se reúne novamente numa mini turnê com cerca de 20 apresentações. Os shows foram realizados em Birmingham e Londres, no tradicional Ronnie Scott's (capacidade 300 pessoas). Em outubro de 98 é lançada a coletânea Sultans of Swing , encerrando assim o contrato do Dire Straits com a gravadora. Na Europa, este album chegou a ser lançado em uma edição especial contendo um 2º CD gravado ao vivo no Royal Albert Hall, Londres, em 96.Em 1999, o baixista John Illsley casou-se com sua namorada Stephanie Latham. Após o casamento houve uma recepção com muita comida, vinho, música e uma banda ao vivo. Lá pelas 11 da noite, inesperadamente Mark Knopfler, o recém-casado da noite, Alan Clark e Guy Fletcher (dividindo o mesmo teclado) e Ed Bicknell (na bateria) subiram ao palco e tocaram “Walk of Life”, “Sultans of Swing”, “Money For Nothing”, “Nadine” e “Wild Theme (Mark & Alan)”. Em julho de 1999, mais uma temporada de shows do Notting Hillbillies. Em uma apresentação no Ronnie Scott's em Londres, a banda contou com a participação de Chris White no sax. No dia 25 de setembro de 2000, após cerca de 3 anos em estúdio, é lançado o segundo álbum solo de Mark Knopfler: Sailing To Philadelphia. A música “What It Is” foi usada como carro chefe do disco que contou com diversas participações especiais como James Taylor (na faixa-título) e Van Morrison (em “The last Laugh”). Pouco antes do lançamento de Sailing To Philadelphia, o manager do Dire Straits Ed Bicknell anuncia seu rompimento com Mark Knopfler. A história não ficou muito bem explicada, mas rumores dizem que houve uma briga entre os dois. Assim, ele passa a ser empresariado por Paul Crockford, que já havia trabalhado com o Tears for Fears.

Em Janeiro de 2001, depois de ser condecorado ano passado com a medalha da Ordem do Império Britânico, dado pela rainha Elizabeth no Palácio de Buckingham, Mark Knopfler foi homenageado de uma forma inusitada: um fóssil de dinossauro recentemente descoberto recebeu seu nome. Segundo os paleontólogos que fizeram a descoberta, a sua música havia sido fonte de inspiração durante os trabalhos. Masiakasaurus knopfleri mede 1,8m de comprimento e é do tamanho de um cachorro pastor alemão, com uma arcada dentária proeminente e pouco comum. O fóssil foi descoberto em Madagascar, país insular africano no Oceano Índico. As 77 anos de idade, em 30 de junho de 2001, morria de câncer o guitarrista americano Chet Atkins que havia lançado um álbum em parceria com Mark Knopfler, intitulado Neck and Neck. Uma de suas últimas aparições foi no show do líder do Dire Straits em Nashville (julho de 98), onde, apesar de já estar com a saúde debilitada, Chet subiu ao palco no fim e presenteou Knopfler com uma guitarra, encerrando a apresentação com “'The Next Time I'm in Town” (do álbum Neck and Neck).

No final de 2001 o pianista John Holland lança Small World Big Band, com a participação de vários artistas como Mark Knopfler, Eric Clapton e George Harrison (em sua última gravação antes de falecer). O líder do Dire Straits toca e canta na música “Mademoiselle Will Decide”.Em 2002 foi lançado um disco tributo a Sun Records, chamado Good Rocking Tonight . Mark Knopfler gravou uma música de Jerry Lee Lewis, chamada “Rock 'n' Roll Ruby”. Entretanto, esta música consta apenas na edição japonesa do CD como bonus track . Ele ainda tocou guitarra nas faixas “Who Will The Next Fool Be”, cantada pelo italiano Zucchero, e “Don't Be Cruel”, cantada por Brian Ferry.Em maio é lançado apenas na Inglaterra o filme A Shot At Glory , cuja trilha sonora é assinada por Mark Knopfler. No mês seguinte, ele reúne antigos companheiros do Dire Straits e Notting Hillbillies para 4 apresentações beneficentes. No entanto, é lançando apenas mais um disco solo de Mark Knopfler, The RagPickers Dream (2002).Em 2004, Mark Knopfler lançou mais um disco solo chamado Shangri-La. De lá pra cá, a continuação ou não do Dire Straits continua sendo uma incógnita, já que não há qualquer novidade da banda à caminho...

F-I-M =D



Um pouco + de arqueologia Knopfleriana!

O Dire Straits conseguiu sua grande oportunidade em 31 de Julio, 1977, depois que uma versão Demo de Sultans of Swing, foi tocada por Charlie Gillet’s no seu programa de Rádio Honky Tonk.Eles foram até o Charlie Gillet porque o John Illsley o conhecia. Curiosamente “Honky Tonk” era também o nome da loja de discos John Illsley, que sempre ouvia o programa de rádio =D Naquela época o programa era basicamente um programa de R&B, e o Charlie Gillet colocou a Demo de Sultans Of Swing por acaso, uma vez que através de John, tinha deixado em suas mãos!Curiosamente, Sultans não estourou na Inglaterra de imediato, devido a uma mulher, dona ou gerente do comiter da rádio, ela dizia que a música era muito longa e cheia de letras oO o que na verdade é uma maravilha! =D Só veio tocar mesmo em UK, quando estava fazendo o maior sucesso em paises vizinhos como, Holanda, Alemanha... Mark Knopfler disse que existia uma rádio que passava só as paradas americanas, e que ele costumava ouvir, daí só depois que Sultans já estava no Top 20 na América, fortaleceu ainda mais essa lenda!Outro fato, na verdade o nome Dire Straits, não foi idéia de Mark e sim de um amigo de Pick chamado Mike, ele estava assistindo um show deles e reparou a lamentável condição financeira do grupo, até então o nome era Cafe Races, nome dado por Mark Knopfler!

Sultans Of Swing pode ser vista também como uma convincente música de Rock sobre uns músicos de Jazz. Observem esse trecho:

E Harry não se incomoda se ele não faz uma boa atuação Ele trabalha de dia e está se dando bem. Ele pode tocar honky tonk como outras coisas. Guardando para sexta à noite, Com os Sultões com os Sultões do swing

Harry poderia ser sinônimo de Mark knopfler. Ele é o homem que escreve e canta todas as canções do Dire Straits, não podia se importar de fazer esse papel. Ele pode tocar guitarra como ninguém. Ele é uma figura do rock muito reservada, a ser considerado o home quieto do Rock, Knopfler parece guarda sua energia criativa para a música.

Um pouco + de arqueologia Knopfleriana! =D


Mark deixou seu trabalho que tinha como professor de inglês para seguir com sua música. Mark estava dando aula em um colégio, em um lugar chamado Loughton, no Norte de Londres, e dando aula de guitarra por outro lado, isso em meados de 75/76. Pelas vocações que tivera, cada vez encontrava mais dificuldades em ensinar no colegio. Depois de ver suas últimas vocações, quando foi apenas com uma mochila nas costas para América tentar a carreira de músico, ele chegou a ser até taxista em New York. Como não deu certo, ele volta para Londre e foi convidado pelo seu jovem irmão David Knopfler a morar em eu apartamento, em Depford, e daí as coisas começaram a acontecer! ^^ Uma coisa interessante é que Pick Withers, foi o único menbro do Dire Straits que podia ser considerado músico proficional antes que formasse a banda. Depois de se formar, Pick tocou em váris bandas. Fazia muito trabalho de estúdio em Londres, tocou com uma banda chamada Brinsley Schwarz, uma versatel de Rock de pubs que "se assemelhava ao som do Dire Straits de 1978 (Primeiro álbum) de certa forma"! Pick fez uma pequena turnê Européia de seis semanas com a banda. Foi quando regresso a Londres que conheceu Mark Knopfler pela primeira vez, certamente em meados de 71/72.

Um rapaz com quem Pick compartilhava um apartamento naquela época, era amigo de Mark Knopfler. Certa vez Mark esteve por lá, para utilizar um gravador e gravar alguma de suas canções. Pick recordava que Mark queria uam bateria simples em determinadas partes das músicas. Knopfler estava tocando com uma banda chamada "Café Racers" ^^, eles tocavam rockabilly durante os finais de semana e também durante a semana, quando o trabalho permitia, razão pela qual resolveu deixar essa classe de trabalhador, para entrar de vez para a banda. O irmão de Mark, David estava convencido de deixar seus trabalhos como assistente social para poder unir-se a banda, além de tempo integral nos ensaios, enquanto isso, o baixista John Illsley estava, todavia terminando sua faculdade de sociologia. Uma vez que John terminou a faculdade e Pick Withers entrou na banda, os quatro se converteram oficialmente em Dire Straits. =D Como havia citado anteriormente, No início, como já sabemos, as coisas não aconteceram imediatamente com a nova banda. Antes que John Illsley tivesse a brilhante idéia de passar a Demo para Gillet, Dire Straits eram estranhos em sua própria terra. Devido à forte presença do movimento Punk, não havia forma de encontrar espaço no cenário musical em Londres e muito menos, de conseguir um concerto que lhe rendessem alguma grana descente! As coisas não caminharam muito na Inglaterra depois que Phonogram firmaram um contrato com eles. O primeiro álbum não parecia ter aceitação no Reino Unido, até que entrou no Top 20 nos Estados Unidos, uns sete meses depois da edição do primeiro álbum. ^^


Brunno Nunes.

Um comentário:

Dunga disse...

Isso eh que eh arqueologia... heheh muito bom... sucessos aew com o blog

Dire Straits

Dire Straits
A voz e a guitarra do Dire Straits ao vivo em Cologne, 1979