sexta-feira, 14 de setembro de 2007

DIRE STRAITS - LEICESTER '82





Pois é, quem conhece sabe a perfeição que é esse bootleg. Contém todas as cinco faixas do álbum Love Over Gold.
Um bootleg extremamente precioso, pois é de 1982, início da Love Over Gold Tour 82/83.


Esse bootleg é incrível, Mark Knopfler bastante inspirado como vocês perceberam.

Aqui se encontra muita coisa interessante, primeiras versões de músicas que forma trabalhadas em tunês posteriores, como *Private Investigations, *Tow Young Lovers e *Going Home.


Uma coisa que me chama muita atenção nesse bootleg, além de toda atmosfera, é a voz de Mark Knopfler, que está ainda mais linda, e com um timbre bem caracteristico dessa fase de 1982, "início da Love Over Gold Tour 82/83. "



Como perito em bootlegs do Dire Straits, devo chamar atenção de todos vocês, para repararem a evolução das canções.

Reparem bem músicas como Expresso Love (o seu final), Tow Young Lovers (ainda sem sax) Portobello Belle ( ainda sem sax e Mark tocando o National Steel Guitar, "o instrumento que ele toca Romeo And Juliet"), Tunnel Of Love (Sua introdução), Going Home (ainda sem sax), It Never Rains (encontrada apenas em bootlegs de 1982).

Enfim, são fatos bem caracteristicos dessa fase, foco de observação de verdadeiros fãs como eu e muitos outros pelo mundo a fora.

Espero que todos aqui apreciem mais um incrível concerto do Dire Straits e não deixem de comentar sua experiência com esse bootleg.


E para ficar perfeito, vou deixar uma resenha feita por Diego ProgShine, um camarada que postou o álbum Love Over Gold em um blog. Quando eu vi o seu poste, fiquei maravilhado com a descrição que ele fez, a respitos das 5 músicas desse incrível álbum. Confiram!!!!! ^^

Resenha:

01. Telegraph Road

Essa faixa aqui é sensacional, começo profético, cheio de sons e um sinal dos raios do tempo. Só até a melodia começar com violão e piano.A banda entra e o baixo de John Illsley, grave, marca a entrada também das guitarras de Mark.

Essa letra, o que seria essa letra? Fantástica, contando a história de como uma cidade começa, fica gigante demais para ela mesma, entra em processo de corrupção e morre. Tudo isso sob a batuta de uma banda arriscada, afinada e muito bem arranjada.

Mark Knopler como compositor é um dos maiores, e como guitarrista então nem se fala, seu estilo inconfundível (por tocar com os dedos sua guitarra e não com a habitual palheta), tudo transforma essa faixa em clássica, e o mais interessante, o fato da banda arriscar em sua discografia. O que pra mim é o mais importante em toda banda.
Intercalando as partes um piano muito bonito de Alan Clark, até que os excelentes solos de Knoples comecem, destaque também para as linhas seguras de Pick Withers (bateria) e também Hal Lindes (guitarra base), ecos de Steve Hackett são escutados nessa intersecção.

Os mais de 14 minutos da canção são pouco, é uma pena que no disco sucessor de estúdio (Brothers In Arms de 1985) as coisas não tenham seguido o mesmo rumo, não que o disco seja ruim, na verdade é excelente, mas eles podiam ter feito mais uma pérola como esta.Quando a banda acelera é hora do solo magnífico de Knlopler, ora jazz, ora blues, ora mais melodioso que um canário-de-peito-amarelo.
E que banda que ele tinha nas mãos viu!

02. Private Investigations

Essa faixa é uma das coisas mais fantásticas que já ouvi.Tudo começa a la Pink Floyd em Wish You Were Here, mas é o violão que pega pesado numa melodia junto ao piano de partir o coração.
A faixa conta uma história triste de um Investigador de Polícia, que vive solitário e vive praticamente pro trabalho, imaginem um daqueles filmes de polícia americano, agora imaginem toda a história na cabeça por culpa dessa música.

Não há dinheiro que pague ter tudo na mente, e a culpa é do Mark, abençoado seja.Só um detalhe, PQP esse violão é genial.A presença de Mike Mainieri nessa faixa é essencial.

E que baixo grave dos infernos! Ed Walsh também dá um show no sintetizadores, muitos detalhes, prestem bem atenção.


03. Industrial Disease

Essa faixa tem os teclados que alguns anos depois deixariam a banda extremamente conhecida.
A faixa é extremamente irônico, engraçada e genial em sua idéia, a letra aborda todas as discrepâncias da vida moderna e como todos os valores se tornam extremos e bizarros.
Tem um ar mais 'pra cima', mas quem disse que música boa é triste?Pra vocês terem a idéia do tom irônico da letra, 'two men say they're Jesus one of them must be wrong' (dois homens dizem ser Jesus, um deles deve estar errado).

Irônico sim, mas extremamente ácido e político.

04. Love Over Gold

Essa melodia de teclado e violão são extremamente bonitas. O cara é bom pra escrever melodia viu! Putz!
Ele estava tão inspirado que seus violões deveriam entrar na escala de estudo das escolas de violão clássico (aliás, foi essa justamente a escola estudada por ele).
Mais uma vez de suma importância as intervenções de Mike Mainieri, principalmente na parte final com o vibrafone (xilofone).

05. It Never Rains

Poderia ter sido um hit!Cara, o timbre de Mark Knopler é muito Bob Dylan nessa faixa e esses teclados 10 anos depois foram usados, e ainda o são, pelo The Wallflowers (banda de Jacob Dylan, filho de Bob Dylan), que coisa bacana não?!

Escutem Three Marlenas do Wallflowers e comprovem.Excelente a jam do final, dispensa comentários o solo.

Acho que por não ter um hit single no disco (no quesito tempo), o disco não ficou tão conhecido do público. É o tipo de disco que deve ser ouvido muitas vezes na vida.

Fonte>> http://newprogshine.blogspot.com/2007/03/dire-straits-love-over-gold-1982.html


O cara foi fundo na idéia!!! ^^ Eu concordo plenamente com ele!

Dai-lhe Diego ProgShine!!! =)
-----------------//------------------





------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem pouco mais de 10 bootlegs de 1982, tais bootlegs são extremamente singulares, pois nos apresenta um Dire Straits totalmente lapidado e ousado, propondo uma atmosfera progressiva, contendo arranjos bem complexos em músicas de seus três primeiros álbuns.
E já que trata-se de Love Over Goud Tour, hoje irei fazer um pequeno comentário a respeito da fase intermediária do Dire Straits. Love Over Gold Turnê 82/83!

Obviamente ninguém é obrigado a concordar com meu ponto de vista, certamente cada um o seu! Meu intuito é de apenas expressar um pouco de minha experiência e ponto de vista a respeito desse assunto! ^^

O motivo que me fez escolher a fase da Love oVer Gold Turnê 82/83, para um possível debate é pelo simples e importante detalhe, de tratar-se de uma fase intermediária do Dire Straits.
Intermediária por ser uma fase bastante destinta e não se enquadrar nem nos Early Years, nem tão pouco no que veria ser o Dire Straits em 85 em diante!
O show Alchemy é o exemplo mais claro do que é aquela fase, um extraordinário registro, muito importante, pois é o primeiro álbum ao vivo do Dire Straits, lançado em 16/03/84 alcança o 3º lugar no Reino Unido e 46º nos EUA, mostra o potencial do Dire Straits no palco!

Muitos consideram esse magnifico show, um ensaio para o que viria ser o Dire Straits em 85 com o Brothers In Arms. Para mim, isso não diminui em nada a importância do Alchemy, até porque para chegar no nível em que eles estavam na Lover Over Gold Turne 82/83, tiveram que passar pelos Early Years 77/81, sem falar que a banda ficou nós devendo um registro ao vivo e oficial da BIA Turnê 85/86, o que torna o Alchemy ainda mais espécial, olhando por esse ponte de vista! Sorte a nossa da banda ter tido a idéia de registrar um documento de tal turnê, a Love Over Gold!

Recapitulando um pouco o que já havia escrito sobre tal fase da banda! ^^

A turnê desse álbum, eu a considero a mais obscura da banda, no sentido da proposta músical, é completamente diferente, trata-se de um novo Dire Straits, agora sem o segundo membro fundador, Pick Withers. Logo após as gravações do LOG, EM Março/Julho de 1982, Pick Withers deixa o grupo!

Essa saida de Pick Winters é o que vai diferenciar essa fase de 82/83 do Early Years 77/81, como das outras fases. Com a saida de Pick, a banda passa por um transformação, ganhando outra personalidade músical, de uma certa forma, isso enriquece a musicalidade do grupo em sí, pois novas cabeças na banda, o banda tendem à agradar um novo público, por consequência de uma nova próposta músical!

Voltando a fase intermediária, Love Over Gold Turnê 82/83! =D


No início da Love Over Gold Turnê, November 30th 1982 a December 21st 1982 o Dire Straits só tocou em UK!

Os bootlegs de 82 são de uma autenticidade incrível, pois foi apenas nesse período que a banda tocou a belissima In The Never Rains, período de um mês! Existem apenas sete versões de In The Never Rains ao vivo, disponíveis em apenas sete bootlegs de 1982, os quais eu possuo, com muito carinho, pois ha um valor sentimental para mim, devido o que esse bootlegs me proporcionam! =D

A banda em 1982 é bem diferente de 1983, mesmo sendo na mesma turnê. O fato é que em 1982, a banda ainda não contava com o Mel Collins, o saxofonista que aparece em músicas como Portobello Belle, Two Young Lovers e Solid Rock no show Alchemy!
Essa foram as primeiras músicas do Dire Straits, a terem arranjos de sax! Então em 1982, essas músicas citadas acima, eram tocadas com novos arranjos!

Ao chegar no ano de 83, a banda conta com membros para suporte, músicos adicionais como>> Mel Collins: saxophone, Joop de Korte: percussion, Tommy Mandel: keyboards!(uma curiosidade, o Joop de Korte aparece tocando percusão em Money For Nothing no Live Aid 1985, é o único regsitro em vídeo dele no Dire Straits!^^

Esses músicos citados acima, não são membros oficiais do Dire Straits.
Como todos já perceberam, "eu acredito", O Mark Knoplfer estando com o Dire Straits, como em carreira solo, não é muito de usar violão! A Turnê que ele mais usou violão foi na Love Over Gold 82/83, ele usava o seu Chet Atkins electric classical guitar. Antes da linda música Love Over Gold, ele ousou tocar com tal violão, fazendo o solo final de Romeu And Juliet, o resultado é celestial, acabou fazendo um casamento perfeito com a música Love Over Gold e deixando uma atmosfera acústica de certa forma! ^^
Logo em seguida, ainda com o mesmo violão, ele apresentará a fantástica Private Investigations! Três músicas com o mesmo instrumento.

"São detalhes que só se encontram exclusivamente na Love Over Gold Turnê 82/83, a fase intermediaria! " Coisa de fã! ^^

Então, aí está, DIRE STRAITS - LEICESTER '82
De Montfort Hall, Leicester
UK
December 13, 1982.


DISC ONE:

1. Intro 0.55
2. Once Upon A Time In the West 10.25
3. Industrial Disease 5.56
4. Expresso Love 5.35
5. It Never Rains 7.34
6. Romeo & Juliet 7.43
7. Love Over Gold 3.47
8. Private Investigations 7.00
9. Sultans of Swing 9.45

Total time: 58:42

DISC TWO:

1. Twisting By The Pool 5.59
2. Two Young Lovers 4.49
3. Portobello Belle 8.36
4. Tunnel of Love 12.29
5. Telegraph Road 14.49
6. Solid Rock 5.26
7. Going Home 6.33

Total time: 58:43


Additional info:
Rare audience recording from Leicester 1982. This is John Illsley's hometown so special for that reason. Also the sound quality is really excellent after remastering. Includes the rarely performed It Never Rains. Nice version of Portobello Belle. This was early in the tour so there was no sax player. Mel Collins joined the band a couple of days later in London. So Tommy Mandel plays the sax solo on Two Young Lovers on his keyboard. There's a funny moment in Sultans of Swing where MK changes the lyrics and sings: "Check out guitar Hal, now he's my pal".


Brunno Nunes.

3 comentários:

Jordi disse...

Brilliant booleg. Thanks for sharing it, and very interesting information on each track. Makes it enjoy it even more! Obrigado!!

Evandro disse...

Muito legal!
Descobri hoje esse blog e adorei... gostei muito do bootleg de 1985... Tunnel of Love de 18 minutos, deve ser fantástico!

Tenho um blog parecido com o seu, sobre o Yes, se gostar dá uma olhada:
www.yesshows.blogspot.com

CSanti disse...

Parabéns pelo Blog. Tentei fazer o download do arquivo de Leicester, mas não obtive êxito. Pena.

Uma dúvida que sempre tive, para os especialistas: A versão de Portobello Belle disponível no álbum Money For Nothing é de que turnê?

Abraõs

Dire Straits

Dire Straits
A voz e a guitarra do Dire Straits ao vivo em Cologne, 1979