sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Desvendando o Véu- Material mutilado- Shows oficiais e não oficiais!

Sem dúvidas, uma péssima característica marcante na trajetória do Dire Straits e carreira solo de Mark Knopfler está presente nos lançamentos de material, seja oficial ou não oficial de ambos. É lamentável, mas temos que admitir, existem verdadeiros absurdos no que se refere a certos lançamentos, simplesmente eles são mutilados sem nenhuma justificativa convincente e o pior de tudo, isso não é muito perceptível pela maioria.

Irei apresentar apenas alguns exemplos que considero absurdos, uma falta de sensibilidade e respeito com o público feito de  fãs, apreciadores e consumidores da obra Knopfleriana.

Pra começar, simples e direto, (o cinturão de ouro)  quem nunca se deparou com o clipe de Sultans Of Swing  e não achou alguma coisa estranha? Aos pouco foi percebendo que foi cortado uma estrofe inteira e o pior... (o grand finale), o solo que marca o ápice da canção... está descaradamente mutilado com um fade desgraçado!!!!



Ausência da estrofe:

"And a crowd of young boys they're fooling around in the corner
Drunk and dressed in their best brown baggies and their platform soles
They don't give a damn about any trumpet playing band
It ain't what they call rock and roll
And the sultans
Yeah the sultans play creole"


Esse mesmo "fenômeno" ocorre no vídeo que segue, não obstante, trata-se da primeira aparição da banda na tv, no programa da BBC- The Old Grey Whistle Test, realizado em  15th May 1978, antes mesmo do vídeo clipe oficial mostrado acima- 12th June 1978. Desta vez, ausência da estrofe que antecede o primeiro solo da canção



Pelo menos deixaram o solo final até a última gota!

Agora vamos de Alchemy.



Hoje em dia, todo fã assíduo sabe que o show que deu origem ao primeiro álbum ao vivo do Dire Straits- Alchemy, não está completo, há ausência de pelo menos 4 canções do setlist original e nunca vieram a luz oficialmente, com exceção da canção Love Over Gold, que está presente no lançamento em cd deste álbum.

As canções que ficaram de fora são: Industrial Disiases, Love Over Gold, Twisting By The Poll e Portobello Belle. Todas essas são canções que estiveram presente no setlist da LOG tour 82/83. Nada mais incoerente para um lançamento de um primeiro álbum ao vivo de uma banda deste porte e não trazer o que de fato a banda na integra, mostrando de fato o que estavam fazendo, como a maioria dos lançamentos ao vivo de muitas outras bandas. Quando se tem noção do que ficou de fora, a sensação que fica é quase como "os melhores momentos do show", pelo menos é o que sinto quando ponho o dvd para assistir.

É evidente que a magia está lá o tempo todo, não tem como assistir o Alchemy e não se emocionar diante de tudo que está registrado, porém, tenham certeza, poderia ser muitooooo mais glorioso esse show, imaginem só contemplar uma versão de Portobello Belle em sua melhor fase, com mais de 13 min.? Haja coração!!!!

O que seria de mim e de nós sem os santos bootlegs de cada dia... neste sentido, ainda bem que eles existem e estão ai para clarear o horizonte e mostrar o elo perdido de cada dia. Eu amo cada vez mais o Dire Straits através de minha experiência com os bootlegs, eles me mostram quem são os Dire Straits e sua grandiosidade, algo que ficou limitado na discografia e videografia oficial da banda. A grosso modo, eu posso comparar os lançamentos oficiais tanto do DS quanto de MK como uma apreciação a olho nu de um lindo céu noturno estrelado, com um telescópio permite você viajar, conhecer mais de perto cada uma das estrelas ou planeta que você ver a olho nu. Encaro os bootlegs como um telescópio, uma verdadeira "máquina do tempo", permite qualquer um que queira voltar no tempo e ver a história como se passou de fato.

Outra coisa curiosa que acho pertinente citar é no tocante ao lançamento em LP do Alchemy, reparem atrás da capa onde vem o setlist:



É até engraçado isso, Romeo and Juliet depois de Once Upon a Time in the West...  lado 2- Expresso Love e Private Investigations...  Sem comentários...




Vamos adiante, iremos dar um salto para o último lançamento ao vivo da banda, On The Night lançado em 1993.
Para isso, irei analisar alguns aspectos interessantes e incoerentes desse show em relação aos lançamentos oficiais da banda.

Aqui está mais um show mutilado, afinal, não existe um show do Dire Straits que eles não tenham tocado Sultans of Swing, e o on the night peca na ausência de músicas que sempre estiveram presentes no set list da OES Tour, músicas como SOS,Tow Young Lovers e Telegraph Road ou (Tunnel of Love).

Mais uma vez é algo lamentável, pois para ser um lançamento oficial da banda, o on the night não mostrou a realidade de um show da On Every Street Tour, ficaram de fora novas roupagens de clássicos citados acima!

No entanto, a desculpa de Mark Knopfler para esse fato não foi nada convincente , dizer que a ausência de SOS,Tow Young Lovers e Telegraph Road ou (Tunnel of Love) deve-se ao fato de já estarem contidas no show Alchemy lançado em 1984, essa declaração não foi nada plausível, afinal, o Dire Straits tem uma característica brilhante de a cada turnê acrescentar novos arranjos, mudando sempre a dinâmica das canções sem perder a magia e do Alchemy para o on the Night muita coisa mudou na estrutura da banda, além da evolução dos músicos!



Bom, eu quero ressaltar os seguintes detalhes para termos uma ideia do panorama que poderíamos ter se o on the night fosse lançado na integra:

Fiz uma pesquisa em meus bootlegs da OES Tour, e acabei descobrindo que o On The Night foi produzido graças à filmagem de quatro shows e não de três shows como pensava-se antes:


Observei detalhadamente esses quatros shows no decorrer de alguns dias e cheguei às seguintes conclusões:

O On The Night é fruto de dois shows em Nimes e dois shows Rotterdam, ambos em Maio de 1992.

Observem abaixo as faixas contidas no show On the Night e de quais shows foram escolhidas para montagem desse álbum:

Les Arenes, Nimes FRA 20. 05.92 [3, 4, 5, 6, 7, 8]
Les Arenes, Nimes FRA 21. 05.92 [1]
Feyenoord, Rotterdam HOL 30.05.92 [2,13]
Feyenoord, Rotterdam HOL 31.05.92 [9, 10, 11,12]

Como vocês podem ver, a maioria das músicas foram retiradas do show em Les Arenes, Nimes FRA 20. 05.92*, seis músicas (o que aumenta ainda possibilidade desse show ter sido filmado completo), em seguida vem o show em Feyenoord, Rotterdam HOL 31.05.92 com quatro músicas. 

Afinal de contas, em cada um desses shows havia câmeras registrando o concerto, não sabemos se foram filmados completos, por enquanto estou no campo da especulação nesse aspecto, mas pelo menos tenho algumas certezas! =)

Vejamos agora o set list real de cada um esses shows:


Les Arenes, Nimes FRA 20. 05.92

Calling Elvis
Walk of life
Heavy fuel
Romeo and Juliet
The bug
Private investigations
Sultans of swing
Your latest trick
When it comes to you
On every street
Two young lovers
Telegraph road
Money for nothing
Brothers in arms
Solid rock
Wild theme 



Les Arenes, Nimes FRA 21. 05.92

Calling Elvis
Walk of life
Heavy fuel
Romeo and Juliet
The bug
Private investigations
Sultans of swing
Fade to black
When it comes to you
On every street
Two young lovers
Telegraph road
Money for nothing
Brothers in arms
Solid rock
Wild theme

Feyenoord, Rotterdam HOL 30.05.92

Calling Elvis
Walk of life
Heavy fuel
Romeo and Juliet
The bug
Private investigations
Olé, Olé
Sultans of swing
Your latest trick
I think I love you too much
On every street
Two young lovers
Tunnel of love
Intro Money for nothing
Money for nothing
Wild theme


Feyenoord, Rotterdam HOL 31.05.92

Calling Elvis
Walk of life
Heavy fuel
Romeo and Juliet
Private investigations
Olé, Olé
Sultans of swing
Your latest trick
You and your friend
On every street
Two young lovers
Telegraph road
Money for nothing
Brothers in arms
Solid rock

Observem que em cada um desses shows temos a presença de músicas raramente tocada ao vivo como no caso do show em Nimes 20.05.92 temos a rara“When it comes to you”; o show do dia seguinte, Nimes 21.05.92 conta com "Fade to black", além de novamente, When it comes to you; em Feyenoord, Rotterdam HOL 30.05.92 é muito especial, temos a presença de “I think I love you too much” e “Tunnel of Love”, (música que foi ganhando menos espaço no decorrer da turnê, sendo substituída por Telegraph Road); o show do dia seguinte, Feyenoord, Rotterdam HOL 31.05.92 temos a fantástica "You and your friend", (Pelos menos eles pouparam essa pérola e disponibilizaram no On the night, assim sendo, ameu ver, o ponto alto desse álbum, pois foi a única “razera” que preservaram para o On The Night, diante dessas outras “rarezas” destacadas acima!)

Enfim, sempre que penso nesses dados a respeito desse álbum, existe algo que paira em minha mente, se em cada um desses quatro concertos haviam câmeras registrando o concerto, então será que não existem os registros completos de cada um desses shows?


Imaginem só a possibilidade de poder assistir esses shows na íntegra, contemplar em vídeo uma versão de Tunnel of love em plena OES Tour, When it comes to you, Fade To Black ou I think I love you too much, seria incrível!!!


Ainda bem que existem shows transmitidos pela TV como o Basel 28.06.92 e o Nimes 29.09.92, pois podemos apreciar músicas que ficaram de fora do On The Night como SOS,Tow Young Lovers e Telegraph Road.

Basel 28.06.92 e o Nimes 29.09.92 mostram fielmente um show da OES Tour, ao contrário do On The Night, que além de ter sido montado em cima de quatro shows, foi mutilado, observem que até a versão de Money for Nothing do On the Night teve sua introdução (onde a banda tem um momento de descontração com a platéia) e o final (onde existe um solo de bateria) cortados! ¬¬


O set list do Basel 28.06.92 e o Nimes 29.09.92 são iguais, seria maravilhoso se houvesse a presença da linda Tunnel of Love em um desses shows, já que não esteve presente no show On The Night, “pelo menos no lançamento oficial!” =(

Será que um dia esses shows irão estar disponíveis na integra? Acho difícil, mas não custa nada sonhar, ainda mais quando existem grandes chances desses registros existirem! ^^


Ah... antes que me esqueça, olhem bem a capa de trás do álbum


(Está foto é muito provavelmente de um show em Paris do dia 29th April 1992, sei disso porque eu tenho esse registro em vídeo gravado da plateia, bem perto do palco e eles estão com as mesmas roupas, além de que, quem tiver o LP do On The Night, poderá ver que logo acima das luzes, por trás da multidão tem o nome na parede- PARIS, o que vem reforçar minha tese)
Link do dvd do show dessa foto> http://www.oneverybootleg.nl/290492_dvd.htm

Antes o On The Night fosse um laçamento tal qual best of da turnê, análogo ao lançamento de Paul MacCarteny de 1993, (Paul Is Live), onde o setlist são de canções tocadas em vários lugares por onde a turnê passou, seria mais coerente, da capa ao conteúdo!



Agora entrando em outro território, o de material não oficial.

Ultimamente eu estou em uma jornada nos bootlegs da BIA tour, sobretudo, a primeira parte da turnê que corresponde do início da turnê em Abril de 85 até Julho do mesmo ano. O setlist tipico da primeira parte dessa turnê era feita das seguintes canções:

Intro
Ride across the river
Expresso love
So far away
Romeo and Juliet
Private investigations
Sultans of swing
Why worry
Walk of life
Two young lovers
The man's too strong 
Money for nothing
Wild west end
Tunnel of love
Brothers in arms
Solid rock
Going home

As duas canções em negrito acima sairão do set na segunda parte da turnê, que corresponde ao período- Agosto a Dezembro de 1985. The man's too strong dar adeus as performances da banda para sempre no último show das 13 noites na Wembley Arena, London, UK, no dia 16 de Julho de 1985. So far away ainda foi tocada nos shows no Canada, sendo tocada a última vez em 1985 no dia 29.07.1985 Varsity Arena Toronto Canada. Ela foi substituída por One World durante o período correspondente a segunda parte da turnê.

Citei esses detalhes para situar melhor o leitor diante do contato com o seguinte show disponível no youtube.


Aqui está o conhecido show em Wembley realizado no dia 10 de Julho de 1985, ele corresponde a sétima noite consecutiva em Wembley Arena. Foi transmitido pelo programa de música ao vivo britânico chamado The Tube, que foi produzido em Newcastle upon Tyne para o Channel 4 por Tyne Tees Television.

Sem dúvidas que neste registro há versões estupendas de So Far Away, Money for Nothing, Tunnel of Love, Brothers in Arms, além de conter o único registro em vídeo da magnifica The man's too strong (cereja do bolo desse show), mas o que chama atenção é a forma descarada como esse concerto foi ao ar em meados de 1986. Pra começar, vejam a sequencia de músicas, completamente fora da ordem usual dos concertos desse período.

So far away
Sultans of swing
Why worry
Money for nothing
Private investigations
Walk of life
Tunnel of love
Solid rock (guest player Nils Lofgren)
Brothers in arms
The man's too strong
Introduction Hank B. Marvin
Going home (guest player Hank B. Marvin)

Private investigations depois de Money for nothing, em seguida Walk of life que antecede Tunnel of love e The man's too strong depois de Brothers in armsSolid rock antes de ambas... esquisito, não? Pois é, como se não bastasse a forma como foi transmitido, ficaram de fora a canção que sempre abriu os concertos da BIA tour 85/86- Ride across the river, deixaram só o gostinho da entrada de Romeo and Juliet no final de So Far Away, cortaram a típica introdução de Private Investigations desta turnê e ainda deixaram de fora músicas como Two young lovers e Wild west end, sem dúvidas tocadas nesta noite.
Há poucos anos atrás, surgiu uma pequena luz no fim do tunel, milagrosamente apareceu o registro de Expresso love desse concerto, entretanto, colecionadores veteranos como eu, ficaram anos e anos com o concerto do jeito que estava.

Uma outra coisa que não posso deixar de apontar é que na versão de Tunnel of Love desse show em Wembley 85 (10/07/1985), também está mutilada. Observem que essa é a canção em que Mark sempre apresenta a banda, um por um, essa parte está ausente no vídeo, e justamente nesse ponto houve um corte, ou seja, essa versão é um pouco maior do que a que está no vídeo, ela segue na integra até 48:35 min, porém, dar pra perceber que em 48:46 min, há uma edição, eles jogaram a parte em que Alan Clark faz o maravilhoso solo no piano que antecede o trecho "And now i'm searching through these carousels 
And the carnival arcades..." Mais um lamento!


Logo depois, surgiu uma versão desse show que tenta deixa-lo mais coerente, pondo em ordem o setlist. Foi editado por algum fã, contudo, é melhor do que nada, pelo menos quem fez, fez um trabalho melhor do quem quem editou esse show para ser transmitido como tal.


Acima, a versão editada, pondo as canções na ordem.

Ainda poderia falar do A Night in London (lançamento em dvd), com ausência de Sultans of Swing e Money For Nothing, mas já chega de absurdos por hoje, não acham? =)

Espero que um dia possamos contemplar esses registros na íntegra, como fã consciente desses fatos me sinto de certa forma "usurpado", pois, seja lá de quem foi a ideia de ser assim, faltou muito da sensibilidade para com os fãs. Sinto certa inveja de lançamentos de bandas como Pink Floyd, Rush, Beatles, como fã de ambas bandas, eu me debruço encantado com a maneira como essas bandas não poupam quando o assunto é agradar os fãs com fartura de qualidade em seus lançamentos, sejam oficiais ou não oficiais, pena não ser assim com o nosso Dire Straits e na carreira solo do mestre! 

Brunno Nunes.

6 comentários:

Arthur disse...

Grande Brunno,

Obrigado pela presença no Blog e também pelo link aqui no Universo...

Cara, eu concordo 100% com você sobre os materiais disponíveis do DS/MK e por certos cortes no seu material.

Apesar de achar o MK um cara legal, vejo que ele tem um certo "desdém" pelos fãs da banda. Ele não liga muito pro que pensam ou escrevem por aí.

Não sei se ele pensa no DS como uma banda cultudada estilo Pink Floyd, porque eu sei, com todo respeito, que com certeza não é.

Mas aos que levam a banda com seriedade, ele poderia ter um pouco de "respeito" (Já que todo material lançado passa pelo crivo dele).

Entendo que ele se canse das coisas com facilidade e esteja cagando pro mundo, mas pelo menos poderia ter um material legal com ele. Digo, legal mesmo. O único que tenta levar por esse caminho é o DVD 'Live at Roadrunning' e só!

O resto é resto.

Se não fosse o YouTube, o material que teríamos do DS/MK ia ser sempre a mesma coisa!


abraço forte!

Arthur

oscar f bastos disse...

Parabéns por essa arqueologia direstraiteana. Ler esses teus materiais é um privilégio para os fãs do DS.

Somos fãs que se alimentam de muito pouco material oficial, e se não fosse os bootlegs e você para analisá-los a penúria seria maior ainda..

Um grande abraço!

oscar f bastos disse...

Parabéns por essa arqueologia direstraiteana. Ler esses teus materiais é um privilégio para os fãs do DS.

Somos fãs que se alimentam de muito pouco material oficial, e se não fosse os bootlegs e você para analisá-los a penúria seria maior ainda..

Um grande abraço!

oscar f bastos disse...

Parabéns por essa arqueologia direstraiteana. Ler esses teus materiais é um privilégio para os fãs do DS.

Somos fãs que se alimentam de muito pouco material oficial, e se não fosse os bootlegs e você para analisá-los a penúria seria maior ainda..

Um grande abraço!

Brunno Nunes disse...

Amigos Knopflerianos

É um prazer voltar a postar coisas do universo Dire Straits, perspectivas minhas acerca de nossa amada banda, à luz da realidade.

Obrigado pelas considerações, fico feliz que tenham apreciado, sobretudo, a paciência de ler minhas publicações depois de "long time ago"... ^^

Uma outra coisa que esqueci de apontar é que na versão de Tunnel of Love do show em Wembley 85 (10/07/1985, também está mutilada, observem que essa é a canção em que Mark sempre apresenta a banda, um por um, e justamente nesse ponto houve um corte, ou seja, essa versão é um pouco maior do que a que está no vídeo, ela segue na integra até 48:35 min, porém, dar pra perceber que em 48:46 há uma edição, eles jogaram a parte em que Alan Clark faz o maravilhoso solo no piano que antecede o trecho "And now i'm searching through these carousels
And the carnival arcades..." Mais um lamento!

Irei acrescentar esse detalhe agora.

Arthur, teu blog tá fora do ar, o que houve?

Abraçãoooooo a todos!!!!!

Arthur disse...

Grande Brunno,

O blog não está fora do ar não!
Deve ter sido um bug do milênio qualquer.

Está, como diria o saudoso 'Galeão Cumbica': -No áááar!

Dire Straits

Dire Straits
A voz e a guitarra do Dire Straits ao vivo em Cologne, 1979