quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Da-lhe Straits!!!!!!

Atualmente, Mark Knopfler se mantem obstinado em seguir com setlist repetitivo ao longo de 4 turnês, literalmente compactando sua carreira em apenas no que vem apresentando ao longo destes 6 anos. Com exceção das novas canções, o cenário estaria mais crítico.

Enquanto isso, na sala de justiça (Super amigos) ^^

Alan Clark com os Straits estão em turnê arrancando aplausos e excelentes críticas com suas performance, sobretudo, a energia no palco, além de transportar todos os expectadores para os dias de gloria do Dire Straits.

Tiveram a visita ilustre de Terry Williams no recentes shows em Cardiff e Danny Cummings no Hammersmith, ambos na pláteia. Estive lendo uma revisão sobre o show em Liverpool, realizado no dia 17/10/2011, feita por Jon Kirkman, da Classic Rock Radio, a qual está presente no site de Alan Clark e o que mais me chamou atenção foi a iniciativa de rasgatarem canção que eu apenas sonhava, ou imaginava um dia ouvir ao vivo, estou falando da canção Communique. Quem esteve presente, julga que surpreendeu de uma maneira muito boa, e como se não bastasse, (para nossa alegria), eles tocaram Iron Hand e Portobello Belle. É claro que teve a presença de canções como: Private Investigations, Telegraph Road, Sultans of Swing, Romeo and Juliet, Brothers in Arms... Percebi que canções como Communique e Portobello Belle foram tocadas não apenas neste concerto em Liverpool no último dia 17 de outubro, elas foram apresentadas também nos hows em Ipswich e Newcastle City Hall.

Enfim, só gostaria de compartilhar que estou muito feliz e satisfeito com essa iniciativa, desde o principio eu enxerguei com bons olhos a banda tributo The Straits, jamais renegaria o legado do Dire Straits sendo execultado por membros tão especiais e fundamentais, tais como Alan Clark, que é o membro mais antigo do Dire Straits que faz parte desta banda e o Criss White que entrou para o Dire Straits na BIA tour e mostrou muita competencia, além de ter um notável carísma.

É válido citar que os Straits estão se preparando para gravarem suas próprias canções, as quais não dúvido nem um pouco de sua qualidade.

Mal posso esperar para ver vídeos desses concertos, pelo menos o áudio, quero muito apreciar a textura que Alan Clark pois na canção Communique, (nunca tocada ao vivo pelo Dire Straits), bem como novos arranjos pela banda, Iron Hand, Portobello Belle e quem sabe futuramente regatam (a nunca tocada ao vivo) Hand in Hand, e a linda maravilhosa Love Over Gold? Só o tempo dirá, pelo menos neste caso, a possíbilidade é muito maior do que esperar algo dessa natureza na carreira do Mark Knopfler, que infelizmente renega seu passado, insiste em ficar girando em torno do mesmo eixo, (no que diz repeito ao setlist), anos após ano em suas 4 últimas turnês. E o pior de tudo, não dar a mínima para os seus fãs, principalmente os que acompanham sua carreira desde que iníciou em 1978, pois só toca aquelas mesmas velhas canções presente em coletâneas, canções que ele está super habituado, mas que jamais seriam estas canções as únicas capazes de satisfazer os fã ou representar a História do Dire Straits, no máximo são garatia de satisfação dos fãs de coletâneas, Dire Straits é muito mais do que o que ele oferece em seus shows, bem como as canções de sua carreira solo, também é bem mais do que ele apresenta em seus show. Onde estão The Scaffold's Wife, The Ragpicker's Dream, Let It All Go So Far From The Clyde, Madame's Geneva, Hard Shoulder, In The Sky, Before Gas and TV, 5:15 AM, Wanderlust? Será que o destino destas será o mesmo destino que tiveram Communique, Hand in Hand, nunca serem tocadas ao vivo? Se assim for, ele estará comentendo um erro ainda maior comparado ao passado, pois agora temos uma quantidade maior de canções que nunca foram tocadas ao vivo.

Observem que as canções que citei acima são canções compatíveis a sua habilidade atual como guitarrista, e no que diz respeito as possíveis variações de canções do DS apresentadas por ele, porque não: The Man's Too Strong, Love Over Gold, On Every Street, Iron Hand, You and Your Friends, Wild West End, Six Blade Knife, Lions, News, canções que também não exigira muito de sua habilidade guitarristica e algumas delas cabem perfeitamente na linha em que vem seguindo atualmente. Não obstante, o fato é que não temos um Dire Sraits ai de volta, não é Mark Knopfler reunindo seus velhos companheiros, mas temos os velhos companheiros do Mark reunidos em prol da obra Straitana e em prol dos fãs e seguidores e The Straits traz uma proposta musical mais louvável, pois para eles, importa sim o que os fãs gostariam de ouvir, ao contrário de Mr. Knopfler, que está super a vontade, fazendo apenas o que quer, privilegio este que só foi possível porque foi com o Dire Straits que ele conseguiu bater records e agora caga pros fãs! É duro ser fã!!! ^^


Brunno Nunes.

Um comentário:

Demerivas2 disse...

Me está parecendo o tipo caso do cara que renega o passado. Outro dia o compositor da música "Don´t Worry, be happy" disse que não tocava mais essa música nem gostaria de tocá-la de novo. Existem outros casos... vai entender...

Dire Straits

Dire Straits
A voz e a guitarra do Dire Straits ao vivo em Cologne, 1979